O Basel construiu uma dinastia no Campeonato Suíço durante a última década, ao faturar oito títulos consecutivos entre 2010 e 2017. O Young Boys conseguiu romper tal domínio e encerrou seu próprio jejum de três décadas, para agora também reinar soberano na Super League. A conquista não seria tão simples nesta temporada, com o St. Gallen ameaçando bastante. Porém, nos momentos decisivos, os aurinegros mostraram-se mais acostumados à pressão e comemoraram nesta sexta-feira o tricampeonato – além de assegurarem a classificação às preliminares da próxima edição da Champions League. É o 14° título do clube, quarto maior campeão nacional.

A partir do segundo turno, Young Boys e St. Gallen se alternaram na liderança do Campeonato Suíço. E os alviverdes até ficaram por mais tempo na frente durante esta reta final, em busca do título que não conquistam desde 2000. A diferença na pontuação, porém, sempre se manteve estreita. E duas derrotas do St. Gallen na última semana, incluindo um 5 a 0 para o Basel, permitiram que o Young Boys não só ultrapassasse, como também abrisse certa diferença. Assim, com uma rodada de antecedência, o tri saiu aos aurinegros.

O Young Boys emendou a quinta vitória consecutiva nesta sexta-feira, ao derrotar o Sion por 1 a 0. Christopher Martins anotou o gol do título. A esperança do St. Gallen era fazer sua parte e torcer por um tropeço dos concorrentes. Assim, os 6 a 0 sobre o Neuchâtel Xamax não adiantaram de nada aos alviverdes. O resultado permitiu ao Young Boys abrir cinco pontos de vantagem e, na última rodada, os jogadores poderão ser recebidos por aplausos do próprio St. Gallen – em confronto direto que acaba não servindo muito.

O técnico do Young Boys é Gerardo Seoane, que substituiu Adi Hütter no início da temporada passada. Já dentro de campo, os destaques se mantiveram razoavelmente inalterados ao longo destes três anos. Entre os principais remanescentes estão o goleiro David von Ballmoos, o volante Michel Aebischer e o meia Christian Fassnacht. Os veteranos Miralem Sulejmani e Guillaume Hoarau perderam um pouco de espaço no ataque. Enquanto isso, Nicolas Moumi Ngamaleu e Jean-Pierre Nsame subiram na hierarquia. Nsame, aliás, foi espetacular: o centroavante chegou à incrível marca de 30 gols em 31 partidas, mais que nas duas campanhas anteriores somadas. Foi o grande nome numa equipe com média superior a dois gols por jogo.

Cabe dizer que o Young Boys também trouxe bons reforços nesta temporada. A defesa foi o setor que mais ganhou, com as chegadas dos rodados Fabian Lustenberger e Frederik Sörensen, ambos com experiência na Bundesliga. O zagueiro Cédric Zesiger também foi uma das revelações da equipe. Já Martins, o autor do gol do título, emplacou após chegar do Lyon. É um time com capacidade para se manter competitivo, mesmo com perdas pontuais.

O objetivo do Young Boys para consolidar seu momento é repetir a campanha até a fase de grupos da Champions. Os aurinegros fizeram algumas boas partidas no torneio em 2018/19 e, nesta temporada, avançaram à etapa principal da Liga Europa. Enquanto isso, os concorrentes precisam se encontrar na Suíça. O St. Gallen ainda necessita de mais tarimba, mas deixa uma impressão positiva desta temporada. Por sua vez, o Basel corre por fora e ainda precisa de mais tempo para a sua reconstrução.