Depois de ter um pré-acordo com o candidato à presidência do Vasco Leven Siano desfeito e ficar próximo de reforçar o Botafogo, com vídeo de anúncio pronto e tudo, só para depois ver a negociação encerrada, Yaya Touré segue em busca de um novo clube. Garantindo estar em condições físicas para atuar por mais dois anos, o marfinense faz agora campanha pessoal para jogar na Serie A italiana, embora diga estar aberto a propostas de Inglaterra e França, onde jogou no passado.

Em entrevista ao site Tuttomercatoweb, Touré não poderia ter deixado mais claro o seu lobby por uma vaguinha no Campeonato Italiano. “Eu gostaria de jogar na Itália, já que nunca joguei lá antes, mas talvez também na França e na Inglaterra, de onde tenho grandes lembranças. Eu estaria pronto para qualquer desafio que a Serie A coloque na minha frente”, disse o jogador, antes de confirmar que, quando estava no City, chegou a ser sondado para defender a Internazionale, à época sob o comando de Roberto Mancini, com quem havia trabalhado no clube inglês.

Aos 37 anos, Touré acumula uma história de destaque sobretudo nos Cityzens­, clube que defendeu entre 2010 e 2018, além de ter uma boa passagem pelo Barcelona entre 2007 e 2010. Por mais que seu auge já esteja hoje distante, o veterano garante ter mais dois anos para produzir bom futebol. Sem clube desde janeiro deste ano, quando encerrou seu vínculo com o Qingdao Huanghai, da China, Touré diz sentir falta do esporte.

“Minha carreira não vai durar para sempre, mas eu sei que tenho ainda uma ou duas temporadas em mim. Não percebi o quanto eu sentiria falta de jogar futebol. Sinto falta da energia, do vestiário, do espírito de equipe e da sensação que você tem quando vence jogos.”

Ao site italiano, Yaya Touré afirmou estar se preparando para se tornar técnico, seguindo caminho parecido ao do irmão, Kolo Touré, hoje auxiliar de Brendan Rodgers no Leicester. Entretanto, ainda quer escrever um último capítulo como jogador.

“Estou estudando para conseguir minhas licenças de treinador, mas tenho uma vida inteira à minha frente para tentar esse caminho. Se eu parar de jogar agora, quando ainda me sinto em boa forma, me arrependerei para sempre”, revelou.

Revelado pelo Mimosas, da Costa do Marfim, Yaya Touré iniciou sua trajetória europeia no Beveren, da Bélgica, na temporada 2001/02. Passou então por Ucrânia e Grécia antes de chegar ao Monaco em 2006. Fez apenas uma temporada na Ligue 1 e foi contratado pelo Barcelona. Ao longo de três anos, ganhou reconhecimento no futebol europeu sobretudo a partir da chegada de Pep Guardiola em 2008, mas alcançaria patamar mais alto em seu clube seguinte.

Contratado em 2010 pelo City, construiu um legado histórico no clube, se tornando um dos principais rostos da nova era de sucessos da equipe. Seu auge aconteceu na temporada 2013/14, quando conquistou a Copa da Liga Inglesa e a Premier League, sendo o artilheiro do clube nesta última, com 20 gols.

Seu declínio se iniciou a partir dali e foi acelerado curiosamente pela chegada de Pep Guardiola ao Manchester City em 2016. Já escanteado no elenco, deixou o time em 2018 para defender o Olympiacos, em sua segunda passagem no clube grego. Tendo chegado em setembro, deixou a equipe apenas três meses depois em acordo mútuo, levando meio ano até ser contratado pelo Qingdao Huanghai, à época disputando a segunda divisão chinesa. Sua aventura na China durou apenas seis meses, acabando em janeiro. Desde então, segue à procura de um clube.