Nos últimos quatro anos, Yaya Touré, merecidamente, dominou a disputa de melhor jogador organizada pela Confederação Africana de Futebol. Entre 2011 e 2014, venceu todas as eleições, deixando para trás concorrentes como André Ayew, Drogba, Mikel, Keita e Aubameyang. Em 2015, entretanto, a fase espetacular do atacante do Borussia Dortmund destronou, também de maneira justificada, o meio-campista do Manchester City. Em vez de reconhecer o mérito do colega de profissão, entretanto, Yaya Touré fez um desabafo desproporcional à imprensa, mostrando que é um péssimo perdedor.

VEJA TAMBÉM: A que ponto chegamos: Ranieri critica Real Madrid e é difícil discordar dele

Em entrevista à rádio francesa RFI após o anúncio de Aubameyang como o Jogador Africano do Ano, Yaya Touré apontou um suposto complexo de vira-latas dos africanos, por não escolher ele, Touré, campeão da Copa Africana de Nações, como o melhor, mas sim alguém que se destacou em torneios europeus.

“Estou muito, muito decepcionado. É triste ver a África reagir desta maneira, ver que eles não acham conquistas africanas importantes. Acho que é isso que traz vergonha à África, porque agir desta maneira é indecente. Mas o que podemos fazer? Nós, africanos, não mostramos que a África é importante aos nossos olhos. Favorecemos mais o que vem de fora do que do nosso próprio continente. Isso é patético”, cravou o meia.

“Yaya tomará conta do Yaya e deixará a África tomar conta de si própria. Como eu já disse muitas vezes, você não pode tomar muita conta da África, porque a África será a primeira a te decepcionar. Quando eu retornar à Europa, muitas perguntas serão feitas. Acho que terei que respondê-las. Já que sou uma pessoa honesta, sempre direi a verdade”, completou o jogador do Manchester City.

Em diversas oportunidades, Yaya Touré demonstrou não lidar bem com críticas ou com o fato de não ser exaltado como ele acredita merecer (embora haja quase unanimidade no reconhecimento de seu talento e importância para o futebol, sobretudo o africano). Após uma temporada aquém de seu potencial em 2014/15, o jogador começou muito bem o segundo semestre do ano passado. Em vez de aceitar os elogios sobre a retomada de seu bom desempenho, atacou aqueles que criticaram sua queda de rendimento na campanha anterior. Desta vez, no entanto, sua incapacidade de reconhecer o mérito de Aubameyang acaba sendo bem indelicada e desrespeitosa ao companheiro de profissão.