Ao vencedor tudo. Ao derrotado nada. Querendo ou não a história é contada pelos que triunfam e, na maioria das vezes, ela conta apenas os feitos dos triunfantes. No futebol, com algumas excessões famosas, não é diferente: quem é campeão é lembrado. Quem fica pelo caminho é esquecido. Mas neste modesto espaço hoje vai ser. O Libertad perdeu de forma agoniante e agonizante nos pênaltis, mas merece os parabéns e uma menção honrosa na história.

Os parabéns por ter ficado a um ou dois chutes da semifinal da Libertadores, mesmo jogando contra um dos cinco melhores times do continente. O lugar na história porque este foi o terceiro ano consecutivo em que o Gumarelo chegou às quartas de final do maior torneio de clubes do continente. Em 2010 os paraguaios eliminaram o Once Caldas nas oitavas, mas acabaram eliminados pelo Chivas, que foi o vice-campeão. Já no ano passado a equipe caiu diante do Vélez Sarsfield, após vencer o Fluminense em jogo histórico.

A de 2012 também foi a décima participação consecutiva do Libertad no torneio. Antes de 2003, ano da primeira presença desta série, o clube tinha participado apenas de três edições da Libertadores. Para se ter uma ideia do que isso representa para o futebol paraguaio, basta dizer que, tirando o Cerro de 2011, nenhum outro clube do país passou das oitavas de final desde 2002, quando o Olimpia foi o campeão. Nesse período o Libertad ainda chegou a “beliscar” uma semifinal em 2006, quando foi derrotado pelo Internacional.

O domínio da última década se repete no âmbito doméstico. De 2000 pra cá o clube conseguiu o título da temporada em 2002, 2003, 2006 e 2007, o Apertura e o Clausura de 2008 e o Clausura de 2010. No mesmo período o Cerro teve três conquistas de temporada (2001, 2004 e 2005) e o título do Apertura 2009. Já o Olimpia ganhou em 2000 e ficou em um jejum até 2011, quando venceu o Clausura.

Essa reviravolta do Libertad ocorreu justamente no maior período de crise do clube. Em 1998 o Gumarelo registrou a pior média de pontos da primeira divisão paraguaia e foi rebaixado. Após dois anos de briga na segundona a equipe voltou à elite em 2001. Foi ali que os repolleros passaram a se notabilizar pela busca da formação de times. Sem poder concorrer com o poderio dos dois grandes do Paraguai, o Libertad voltou seus olhos para as divisões de base e para o aproveitamento de jogadores renegados em outros clubes. Assim construiu o domínio supracitado. Assim a agremiação mira seu futuro…

Dos 14 jogadores que estiveram em campo no empate contra La U nesta quinta-feira, sete foram formados na base gumarela. Dados os resultados recentes, esse número deve se manter nos próximos anos. O Libertad praticamente detém um monopólio dos títulos do futebol de base. Em 2009 as categorias sub-15, sub-17, sub-18 e sub-20 foram campeãs nacionais em pelo menos um dos dois torneios do ano. Em 2010 o mesmo se repetiu, mas com ainda mais relevância, uma vez que a maioria dos times que venceu no primeiro semestre também o fez no segundo. Já no ano passado sub-14, sub-17 e sub-18 venceram os dois torneios do ano, enquanto sub-15, sub-16 e sub-20 tiveram uma conquista.

Ou seja, se não utilizar todos esses jovens campeões, ao menos o Libertad tem bons prognósticos de vendas de atletas, o que aumenta o caixa e permite ao time investimentos em jogadores melhores.

Em comparação aos últimos anos, o time de 2012 já é o melhor na parte técnica. No gol o uruguaio Rodrigo Muñoz, que chegou nesta temporada, vindo do Nacional do Uruguai, foi responsável direto por grande parte dos triunfos na Libertadores. Na zaga, Benegas, que veio da base, e Nasuti, contratado no ano passado, deram solidez ao quarteto completado por Bonet e Samudio (também vindo da base), ambos bons no apoio e recomposição. No meio, Cáceres, ídolo e formado na base, tem a companhia de Aquino no centro, Ayala pela ponta direita e Civelli, contratado nesta temporada, pela esquerda. Na frente Velázquez, que veio das canteras, foi o centroavante que faltava ao time, que ainda conta no ataque com a habilidade de Muñoz, outra cria gumarela.

Esses bons jogadores individualmente formaram um time que coletivamente é ótimo. O Libertad joga em um 4-4-2 britânico. Britânico tanto pelo fato das duas linhas de quatro, como pela aplicação rigorosa de seus atletas à tática do sistema de jogo. O comprometimento e habilidade dos paraguaios para jogar deste jeito por muito pouco não deixaram a toda poderosa Universidad de Chile fora da Libertadores. Quem sabe o que faria ao Boca se tivesse passado?

Se não vai ficar na história pelas conquistas fora do solo paraguaio, o Libertad merece ser lembrado por seus feitos. Treze participações consecutivas em Libertadores, com três vezes consecutivas entre os oito melhores, não é para qualquer um. Ao perdedor tudo. Tudo que ele merece: o nosso reconhecimento.

Tuitadas da Libertadores

Fluminense 1×1 Boca: Este colunista não crê tanto na história de mística da camisa, mas que os brasileiros tremem na frente do Boca Juniors, isso é verdade. Os xeneizes pouco fizeram em termos ofensivos, mas quando chegaram foram mortais. Santiago Silva não é o grosso que os desinformados pintam…

Corinthians 1×0 Vasco: Raça, suor, vibração e nervos marcaram o confronto brasileiro. No final o Corinthians buscou mais a vitória e foi recompesado. Que o triunfo não apague os problemas. Tite precisa pensar em soluções e alternativas para não contar só com a sorte daqui em diante.

Santos 1×0 Vélez: Contra o bem armado time argentino, o Santos pouco criou. Abusou da estratégia Neymar contra rapa e por muito pouco não deu adeus à Libertadores. Kardec e Rafael salvaram o time. Muricy também precisa abrir o olho para a forma que sua equipe tem demonstrado.

U. de Chile 1×1 Libertad: Os chilenos começaram o jogo voando, mas bobearam na bola parada e tiveram que aguentar os contra-ataques do Libertad. As duas equipes tiveram chances de triunfo, mas no final os pênaltis deram a vitória para La U, que tem agora seu maior desafio na era Sampaolli.

Mais paraguaias

– No Apertura a briga entre Cerro e Olimpia pela liderança segue ditando o ritmo do campeonato. No último final de semana o Olimpia ficou no 0 a 0 com o Nacional e permitiu que o Cerro voltasse a diminuir a diferença. O Ciclón bateu o Rubio Ñu por 3 a 2 e agora está a apenas três pontos do líder.

– Faltando seis rodadas para o fim do Apertura, o Olimpia lidera com 37 pontos em 16 jogos. O Cerro tem 34. O Libertad é o terceiro, com 28.

– O técnico uruguaio Jorge Fossati assumiu de forma oficial o Cerro Porteño. Ele não prometeu títulos, mas disse que vai fazer o centenário do clube ser digno.

Chilenas

– No Chile o Apertura já está na fase de mata-mata. Nas partidas de ida das quartas de final apenas um confronto mais ou menos definido. A Unión Española jogou com a Universidad Católica em casa e aplicou impiedosos 3 a 0. Dificuldades também para o Colo Colo, que recebeu o Deportes Iquique e que só conseguiu um empate em 3 a 3 aos 45 do segundo tempo. Já o O’Higgins bateu a Unión La Calera por 1 a 0 fora de casa.

– O jogo que falta é o entre Universidad de Chile e Cobreloa. A data dos confrontos de ida e volta tiraram o técnico Jorge Sampaolli do sério, já que ele não terá nove jogadores titulares por causa dos confrontos das eliminatórias para a Copa de 2014. Ele disse que dificilmente La U conseguirá os resultados que precisa com essa quantidade de atletas reservas em campo.

Uruguaias

 

– O superclássico do futebol uruguaio teve mais uma edição repleta de fortes emoções. Depois de sair na frente com Mora, o Peñarol tomou o empate de Richard Porta. Zalayeta desempatou o jogo para os carboneros, mas Facundo Píriz trouxe a igualdade para o Nacional. No final do jogo ele, Alvaro Recoba, determinou a vitória bolsilluda cobrando falta.

– O resultado praticamente acaba com a temporada do Peñarol. Faltando três rodadas para o fim do Clausura, os manyas têm uma ínfima chance de vencer o torneio, uma vez que tem 26 pontos contra 35 do Defensor Sporting. Na tabela anual a equipe precisa tirar uma diferença de cinco pontos para o Nacional e ainda torcer contra o Defensor Sporting.

– Lembrando que no campeonato uruguaio o vencedor da tabela anual se garante na decisão e enfrenta o vencedor do confronto entre ganhador do Apertura (Nacional) contra ganhador do Clausura.

– O ganhador do Clausura provavelmente será o Defensor Sporting. Os violetas fizeram 1 a 0 no Bella Vista e chegaram a 35 pontos em 13 jogos. A equipe ainda está invicta no campeonato. Em segundo lugar aparece o Liverpool, que tem 31 pontos após vencer o Fénix por 5 a 4. O Nacional é o terceiro, com 29 pontos. O Peñarol é o quarto com os já referidos 26.

Colombianas

– Mais uma rodada do Colombianão se passou, mas seguem ainda os mesmos quatro classificados: Tolima, Santa Fe, Huila e Equidad. Na última rodada seis times brigam por quatro vagas.

– A tabela tem Itagüí, Deportivo Pasto, Junior e Boyacá Chicó da quinta até a oitava posição, com 26, 26, 24 e 24 pontos, respectivamente. Deportivo Cali e Patriotas, ambos também com 24, tentam ficar entre os oito.

– O Atlético Nacional segue no seu processo de recuperação. A equipe venceu o Once Caldas por 1 a 0. O blanco blanco é que está mal. O time ocupa a penúltima posição e aposta em seu novo técnico, Leonel Alvaréz, ex-seleção colombiana, para ter um segundo semestre melhor.

Equatorianas

– Rodada dupla nesta semana no campeonato equatoriano. O Independiente del Valle deixou a liderança e caiu para a quarta posição, depois de vencer o Olmedo por 3 a 0, mas perder para o Barcelona por 2 a 0. A ponta da tabela é da Liga de Loja, que venceu o Deportivo Quito por 1 a 0 e ganhou do Olmedo por 2 a 1. Em segundo lugar aparece o Barcelona, que além de vencer o Independiente, também fez 4 a 1 no Macará. A terceira posição é do Emelec, que ganhou do Técnico Universitario por 3 a 2 e que bateu a LDU por 3 a 0.

– Faltando cinco rodadas para o final do Primera Etapa, a Liga de Loja tem 32 pontos. O Barcelona e o Emelec têm 31. O Independiente del Valle tem 29 e é o quarto colocado, seguido pelo Deportivo Cuenca, com 27, e pela Liga de Quito, com 26. O Deportivo Quito é o sétimo, com 21 pontos.

Peruanas

 

Em terras peruanas o modorrento Descentralizado 2012 segue praticamente sem mudanças. A Universidad César Vallejo venceu o Real Garcilaso por 2 a 1 e manteve a liderança, agora com 29 pontos em 14 jogos. O Sporting Cristal é o segundo, com 26 pontos, após vitória por 4 a 0 ante o José Gálvez. O Real Garcilaso é o terceiro, também com 26 pontos.

Bolivianas

 

– Com o campeonato encerrado as atenções na Bolívia se voltam para a definição das equipes que ficam ou sobem para a elite do país. O penúltimo e o antepenúltimo da primeira divisão enfrentam o segundo e o terceiro da segundona. Por ora a vantagem é das equipes que terminaram nas últimas posições da primeira divisão. O La Paz fez 6 a 1 no Destroyers na primeira partida. Já o Guabirá venceu o tradicional Jorge Wilstermann, que caiu ano passado, por 2 a 0.

– Os jogos de volta acontecem neste fim de semana.

Venezuelanas

– Na Venezuela os únicos jogos acontecendo são os que envolvem a definição de duas vagas na Copa Sul-Americana 2012. O Deportivo Táchira avançou para as semifinais depois de bater o Zulia por 5 a 0 e perder por 3 a 0 no segundo jogo. O Táchira vai enfrentar o Yaracuyanos, que fez 3 a 2 no Aragua e que na partida seguinte empatou em 1 a 1.

– Do outro lado da chave o Monagas conseguiu a classificação após empate em 1 a 1 e vitória por 1 a 0 contra o Deportivo Petare. O adversário será o Zamora, que perdeu do Trujillanos por 2 a 1 no primeiro jogo, mas que deu a volta e venceu a partida decisiva por 2 a 0.