Xavi confirmou, nesta quinta-feira, que a atual temporada, a quarta no futebol do Catar, será a sua última como jogador profissional de futebol. Para a surpresa de ninguém, o meia de 39 anos já está estudando para tirar as licenças necessárias para continuar no esporte, dando sequência à linha de treinadores de futebol que privilegia a posse de bola. 

[foo_related_posts]

O espanhol havia escolhido o fim da temporada anterior, que terminou em maio de 2018, como a data da sua aposentadoria. No entanto, voltou atrás e decidiu jogar pelo menos mais seis meses e acabará disputando mais uma campanha completa pelo Al Sadd

E foi uma boa decisão. Permitiu que Xavi conquistasse sua primeira liga nacional desde que chegou ao Catar, em 2015, e do jeito que ele gosta: com um futebol ofensivo que anotou 100 gols em 22 rodadas. O time do craque ainda está vivo na Copa do Emir e na Champions League da Ásia. 

“Foi um privilégio jogar futebol até os 39 anos e agora gostaria de terminar a temporada em alta, ganhando a Copa do Emir e chegando à próxima fase da Champions League da Ásia. Esta é minha última temporada como jogador, mas quero ver o que o futuro me reserva como treinador”, disse, em um artigo para o Generation Amazing, um projeto de caridade que recentemente o levou à Índia

Nem precisamos dizer quais serão as ideias do treinador Xavi. “Minha filosofia como treinador reflete o estilo que desenvolvemos durante muitos anos sob a influência de Johan Cruyff e de La Masia, e que tem seu máximo expoente na forma de jogar futebol do Barcelona. Fico encantado vendo as equipes tomarem a iniciativa em campo, o futebol de ataque e voltar à essência do que todos amamos quando éramos crianças: o futebol de posse”, afirmou.