O Wolverhampton retornou à Premier League com disposição para bagunçar. Com o investimento do seu dono, já contava com uma equipe qualificada para a segunda divisão e a reforçou ainda mais na última janela de transferências. Candidatou-se a ir além de apenas sobreviver na elite e tem mostrado a que veio nas primeiras rodadas. Neste sábado, segurou o atual campeão Manchester City com um empate por 1 a 1 no Estádio Molineux.

Na temporada passada, o City ganhou o título batendo recordes de pontos e vitórias e sofreu poucos tropeços. Foram duas derrotas, para Manchester United e Liverpool, e apenas quatro empates, todos contra equipes que ficaram abaixo da sexta posição: Huddersfield, Burnley, Crystal Palace e Everton. A nova campanha começou com desempenho parecido e vitórias folgadas contra Arsenal e Huddersfield.

Ainda encaixando suas novas peças, o Wolverhampton fez uma partida eletrizante contra o Everton, na estreia, e na sequência perdeu para o Leicester. Ergueu-se ao desafio de enfrentar o Manchester City e causou diversas dificuldades para o principal candidato ao título inglês desta temporada. Os primeiros 20 minutos foram de equilíbrio, com chegadas perigosas dos donos da casa e tentando cancelar as ações dos visitantes.

O City, porém, é um time quase impossível de ser anulado. E aos 21, Agüero mandou a sua primeira bola na trave. Logo depois, Rui Patrício teve que fazer uma grande defesa para barrar Raheem Sterling. A resposta veio em um escanteio, mas Jiménez mandou para fora. No começo do segundo tempo, foi Ederson quem precisou trabalhar. Mandou o esforço de Hélder Costa para escanteio. E na sequência da jogada, João Moutinho cruzou, e Willy Boly fez 1 a 0 para o Wolverhampton.

O árbitro não viu que o gol foi com a mão, nem seus assistentes. E como os clubes da Premier League votaram contra a introdução do árbitro de vídeo nesta temporada, não foi possível revisar a jogada. O empate veio em cobrança de falta de Gündogan, completada por Aymeric Laporte, e o City tinha 20 minutos para concretizar o que seria um tipo de virada que vimos com frequência na última temporada.

No entanto, o Wolverhampton continuou levando perigo no outro lado do gramado, com contra-ataques competentes. Diogo Jota mandou um para fora, e Kompany precisou salvar outro. Patrício voltou a trabalhar bem em cabeçada de Gabriel Jesus à queima-roupa, e Agüero, no último lance da partida, carimbou o travessão em cobrança de falta. E o Manchester City perdeu seus primeiros pontos na nova Premier League.