Rúben Neves havia marcado apenas duas vezes nesta temporada, a sua primeira na elite do futebol inglês com o Wolverhampton. Uma cobrança de falta contra o Everton e um pênalti diante do Tottenham. Nesta segunda-feira, pela terceira rodada da Copa da Inglaterra, ele voltou a apresentar a sua especialidade: a bomba de fora da área. Com ela, anotou o segundo gol da vitória dos donos da casa por 2 a 1, responsável pela eliminação do Liverpool na Copa da Inglaterra.

LEIA MAIS: Bobeou, dançou: Wolverhampton vira para cima do Tottenham em Wembley

Mesmo com um difícil adversário pela frente, o nono colocado da Premier League, o técnico Jürgen Klopp não teve pudor de poupar quase todos os seus jogadores. Entre os titulares mais frequentes, começou apenas com Dejan Lovren, porque a epidemia de lesões na defesa o impede de rodar muito esse setor, e James Milner, que voltou do estaleiro contra o Manchester City e precisa de tempo de jogo.

Roberto Firmino, Sadio Mané e Mohamed Salah estavam no banco de reservas, caso fossem necessários, mas, logo no começo da partida, um infortúnio impediu que os três fossem utilizados. Lovren saiu machucado e deu lugar ao jovem Ki-Jana Hoever, de apenas 16 anos, cria das categorias de base que Klopp imagina que possa se transformar em um bom reserva para Trent Alexander-Arnold.

O Wolverhampton fez cinco mudanças em relação ao time que perdeu do Crystal Palace no meio de semana. Entraram o goleiro John Ruddy, o lateral Rúben Vinagre, os meias Leander Deondoncker e Rúben Neves e o atacante Diogo Jota. Mas foi Jiménez quem aproveitou o vacilo de Milner no meio-campo e, com a ajuda do bloqueio de Jota para impedir que o veterano inglês o perseguisse, abriu o placar, ao fim do primeiro tempo.

Mesmo atrás no placar, Klopp não colocou suas estrelas em campo, mas conseguiu o empate mesmo assim, com um chute de Divock Origi, de fora da área. No entanto, quatro minutos depois, Neves soltou a perna de fora da área, no canto de Mignolet, para recolocar o Wolverhampton à frente no placar. Shaqiri, em cobrança de falta, acertou a trave e quase conseguiu o empate.

A 20 minutos do fim, Salah e Firmino entraram em campo para tentar salvar a Copa da Inglaterra do Liverpool. Não conseguiram. Houve uma pressão dos visitantes, mas poucas chances claras. Uma oportunidade de título a menos para Jürgen Klopp, ainda sem nenhum troféu para apresentar pelo seu trabalho em Anfield. Mas, como o técnico alemão demonstrou logo na escalação, a sua prioridade está em outro lugar. No próximo sábado, os Reds viajam para encarar o Brighton, tentando manter a vantagem de quatro pontos que têm para o Manchester City na ponta da tabela da Premier League.