O fim do jogo na Bélgica até ofereceu uma pontinha de esperança ao Gent. Porém, as expectativas não bastaram por si na Volkswagen Arena. O Wolfsburg fez o seu jogo e mandou em campo para buscar a classificação às quartas de final da Liga dos Campeões. Após a vitória por 3 a 2 na ida, os Lobos souberam administrar a vantagem e ainda buscaram o triunfo na reta final da partida, com André Schürrle garantindo o 1 a 0 sobre os belgas. A atual temporada pode estar abaixo do que o clube alemão fez em 2014/15. Mesmo assim, marca o ápice do Wolfsburg nas competições europeias.

VEJA TAMBÉM: Brilhante e ao mesmo tempo decisivo: Deu gosto de ver o show de Draxler contra o Gent

Precisando do resultado, o Gent teve mais iniciativa durante os primeiros minutos. No entanto, o Wolfsburg soube controlar o ímpeto dos visitantes e esfriou o jogo na metade final do primeiro tempo. E a falta de oportunidades abateu os belgas na volta do intervalo. A partir da segunda etapa, os Lobos puderam mandar em campo. Criando mais ocasiões, tinham paciência para dar o golpe derradeiro no Gent. O que aconteceu aos 29 minutos, com Schürrle. Julian Draxler fez uma grande jogada pela ponta direita e, na linha de fundo, cruzou para o camisa 17 finalizar. Valeu para dar ainda mais tranquilidade na reta final, assim como para os dois destaques do elenco saírem de campo aplaudidos.

Ao Gent, restam os elogios por uma campanha muito acima do esperado. Os belgas souberam encarar clubes de muito mais tradição, e com uma postura geralmente ofensiva. Mesmo contra o Wolfsburg, fizeram um bom papel. Referendaram de uma ótima maneira o projeto que vêm conduzindo, que já rendeu a conquista inédita do Campeonato Belga e segue com a possibilidade do bicampeonato nesta temporada. Vale ficar de olho, especialmente pelas próximas campanhas continentais e pelos destaques que têm capacidade para pintar em clubes maiores, como o atacante Moses Simon e o goleiro Matz Sels.

VEJA TAMBÉM: Rompendo com o previsível nas oitavas, o Gent é um exemplo gigante para os pequenos da Champions

O Wolfsburg, por sua vez, se sobressai principalmente no individual. Draxler, sobretudo, fez a diferença para a classificação contra o Gent – especialmente pela atuação magistral no jogo de ida. Porém, para sonhar com um passo além, os Lobos terão que apresentar uma força coletiva que não vem demonstrando nesta temporada. A defesa sofreu um bocado diante dos rivais mais pesados, e mesmo nas vitórias, como nos 3 a 2 sobre o Manchester United. E, considerando que as chances dos alemães pegarem um gigante na próxima etapa é enorme, dependerão de um grande esforço do conjunto para ao menos fazer frente durante os 180 minutos.

Em sua participação anterior na Champions, o Wolfsburg acabou na lanterna de seu grupo. Além disso, caiu duas vezes nas quartas de final da Liga Europa. Agora, os Lobos surgem entre os oito melhores do principal torneio continental como franco-atiradores. Cumpriram a sua missão contra um rival mais fraco, o Gent, mas possivelmente entrarão no sorteio da próxima fase como o “preferidos” da maioria. A quatro pontos do Top 4 da Bundesliga, os alemães vão quartas com a leveza de não ter qualquer responsabilidade, mas algumas peças boas o suficiente para surpreender. Dependendo da sorte e do trabalho coletivo, podem até sonhar com uma história ainda mais duradoura.