Axel Witsel pintou como um bom jogador no Benfica, notório fornecedor de talento para centros maiores da Europa. Mas ele tomou um caminho diferente: foi para o Zenit, da Rússia, depois para o Tianjin Quajian, da China. Apenas em 2018, aos 29 anos, o meia belga chegou a uma das ligas mais importantes do continente. E está bem feliz. 

“Ir para o Borussia Dortmund foi a melhor decisão esportiva que eu já tomei”, disse, em entrevista ao jornal alemão Bild. “Eu nunca joguei com melhores jogadores do que aqui. Além disso, a localização é ideal. Minha família e eu estamos próximos da nossa terra natal”. 

Dortmund fica a menos de 200 quilômetros de Liège, onde Witsel nasceu. O meia atuou 17 vezes na temporada, quase sempre os 90 minutos, e se tornou um jogador importante para a equipe de Lucien Favre. “Axel é um estrategista em campo e também um verdadeiro líder. Contratá-lo foi um golpe de sorte”, admitiu o diretor-esportivo do Dortmund, Michael Zorc. 

O começo de Bundesliga é ótimo para o Dortmund. São oito vitórias e três empates, a liderança, com quatro pontos de vantagem para o segundo colocado, e um triunfo importante, de virada, contra o Bayern de Munique. “Não é porque vencemos o Bayern que vamos falar de título. Temos que continuar nos concentrando nas próximas semanas”, disse Witsel. 


Os comentários estão desativados.