O Chelsea tem duas vias para conseguir vaga na próxima Champions League, e esta semana apresenta duelos importantes em ambas. Com o Liverpool pela Premier League no próximo domingo, Maurizio Sarri decidiu que a partida de ida das quartas de final da Liga Europa contra o Slavia Praga, fora de casa, era o melhor momento para poupar alguns dos seus jogadores. A primeira parte do plano deu certo: em um jogo bem morno, os Blues saíram da República Tcheca com a vitória por 1 a 0.

Resultado importante para apenas terminar o serviço na próxima semana, em Stamford Bridge, especialmente considerando que jogadores como Kanté, Hazard e Higuaín começaram no banco de reservas e estarão mais frescos para enfrentar um dos candidatos ao título inglês no fim de semana. Nesse contexto, quem aproveitou a oportunidade e tirou o Chelsea do marasmo foi o brasileiro Willian.

Não é de hoje que Willian parece prestes a deixar o Chelsea. As especulações de transferências são constantes na imprensa europeia e o jogador de 30 anos entrará, na próxima temporada, nos últimos 12 meses do seu contrato. Com Sarri, ele tem atuado bastante na Liga Europa e foi titular em aproximadamente um terço das rodadas da Premier League. Mas começou jogando apenas duas das últimas oito.

Com a ascensão de Callum Hudson-Odoi, a tendência é que ele perca ainda mais espaço, e por isso foi importante ter uma boa atuação contra o Slavia Praga. Ele foi o que mais se destacou no campo de ataque, com uma bola no travessão no primeiro tempo, uma tabela com Giroud que gerou um chute cruzado perigoso e o cruzamento para o único gol da partida, marcado de cabeça por Marcos Alonso, aos 41 minutos do segundo tempo.

O Slavia Praga, que eliminou o poderoso Sevilla nas oitavas de final, criou poucas oportunidades, a melhor delas em um chute de fora da área de Ibrahim Traoré, bem defendido por Kepa, e terá muito trabalho a fazer em Stamford Bridge para manter em pé sua trajetória europeia.

.