West Ham venceu o City com um goleiro, um artilheiro e a ajuda da trave

Adrián pegou tudo, Sakho marcou pela sexta rodada consecutiva, e o West Ham continua brigando pela parte de cima da tabela

O West Ham chegou à metade do primeiro turno, dentro da margem de erro. Disputou nove partidas e tem mais dez pela frente e deve completar a rodada dentro da zona de classificação à próxima Liga dos Campeões, na quarta posição. Ainda é cedo para saber se será um dos candidatos à vaga europeia ou apenas mais um daqueles times que arrancam muito bem e terminam no meio da tabela, mas, neste sábado, conseguiu um resultado para ganhar confiança: venceu o atual campeão Manchester City, por 2 a 1.

LEIA MAIS: Gol de letra de fora da área de Lamela é para ver no replay até cansar

Foi certamente a vitória mais maiúscula da equipe de Sam Allardyce. Em setembro, havia superado o Liverpool, último vice-campeão, mas time que se remonta e se reencontra depois da saída de Luis Suárez. Perdeu do Manchester United e do Tottenham, em Upton Park, o que colocou aquela pulga atrás da orelha: será capaz de enfrentar os grandes times de igual para igual?

Pelo menos o City, enfrentou. Abriu o placar na metade do primeiro tempo, com Morgan Amalfitano, e mal correu riscos até o árbitro apitar o intervalo. Os visitantes devem ter tomado aquela bronca forte de Manuel Pellegrini e voltaram dispostos a virar o placar. Entre os 15 e os 25 minutos da segunda etapa, bombardearam o West Ham, mas esbarraram em dois personagens importantes: a trave e o goleiro Adrián, que frustraram igualmente Agüero e Yaya Touré, uma vez cada um.

O West Ham não tem tanto poderio ofensivo quanto o adversário, mas tem seus nomes interessantes: Andy Carroll, Mauro Zárate e Enner Valencia, destaque do Equador na Copa do Mundo. Mas o craque deste começo de temporada na frente é Diafra Sakho, um senegalês de 24 anos, que se destacou pelo Metz e foi contratado por aproximadamente R$ 15 milhões. É o artilheiro do time e foi o responsável por ampliar o placar, depois que a pressão do City se mostrou infrutífera. Foi o seu sexto gol na Premier League, e o mais incrível é que ele anotou o seu nome no placar nas últimas seis rodadas.

O Manchester City voltou a tentar pressionar e a ameaçar Adrián, que colocou o experiente Jaaskelainen no banco, na metade da última temporada, e vem correspondendo. Ele não conseguiu evitar o belo gol de David Silva, que recebeu na ponta direita e foi costurando a defesa até bater colocado. Mas conseguiu impedir que Jovetic empatasse nos últimos minutos, com um belo arremate da entrada da área, e foi um dos principais responsáveis pela vitória. Ao lado de Sakho e, claro, das traves de Upton Park.