O Guardian, um dos mais respeitados jornais da Inglaterra, revela em sua edição online desta sexta-feira uma série de detalhes sobre a negociação entre MSI e West Ham que levou os argentinos Tevez e Mascherano ao tradicional clube londrino.

De acordo com o jornal, os dois só assinaram contrato com o clube inglês porque a Fifa não aceita que um jogador tenha contrato com um fundo de investimentos, apenas com um clube. No contrato entre fundo e clube, haveria uma cláusula determinando que o West Ham não pode recusar ofertas superiores a chr(128)50 milhões por qualquer dos dois jogadores, a não ser que cubra a oferta. A maior parte do valor de uma eventual transação, sempre de acordo com o diário, ficaria com o fundo comandado por Kia Joorabchian.

O West Ham teria sido escolhido por dois motivos. O primeiro é que, recentemente, a MSI fez uma proposta para adquirir o clube, proposta que foi recusada, mas que gerou um bom relacionamento com a direção dos Hammers. O segundo é que, ao contrário dos outros clubes que pretendiam contar com o futebol dos argentinos, o West Ham não disputará competições européias nesta temporada, ou seja, os jogadores poderiam ser vendidos novamente já no fim deste ano, já que ainda poderiam ser inscritos para a Liga dos Campeões ou para a Copa da Uefa.

O West Ham, é claro, nega a história, dizendo que, se tiver uma ao oferta pelos dois, analisará, como analisaria ofertas por qualquer jogador. O Guardian traz ainda um perfil de Kia Joorabchian e da MSI.