O Werder Bremen retomou de onde havia parado antes da paralisação: uma fase muito ruim. Nesta segunda-feira, na partida que fechou a primeira rodada da Bundesliga após a pausa imposta pela pandemia de coronavírus, foi presa fácil para o Bayer Leverkusen, comandado por Kai Havertz, e perdeu por 4 a 1.

O risco de ser rebaixado cresce para o Bremen a cada rodada em que o seu time parece incapaz de ganhar jogos de futebol. Duas das suas quatro vitórias vieram em sequência, ainda em setembro, e desde então houve apenas mais duas em 21 rodadas. Está na vice-lanterna, com cinco pontos e uma partida a menos que o Fortuna Düsseldorf, ocupante do posto dos playoffs do rebaixamento.

O Bayer Leverkusen, agora invicto há cinco rodadas e com sete vitórias nas últimas nove, encostou no pelotão da frente, em quinto lugar, a um ponto do RB Leipzig e a oito da liderança.

Kai Havertz era muito cotado para uma transferência acima dos € 100 milhões, antes de a pandemia colocar o mercado em um estado de incerteza e abalar as contas de todos os clubes. Os motivos de tanta badalação ficaram mais uma vez claros com uma ótima apresentação do garoto de 20 anos.

Contribuiu que a defesa do Werder Bremen não estava muito inclinada a marcá-lo e permitiu que ele fizesse dois gols de cabeça, bem soltinho dentro da área, completando jogada individual de Diaby pela direita e uma cobrança de falta de Kerem Demirbay.

Desviando escanteio de Leonardo Bittencourt, Theodor Gebre Selassie permitiu que o Bremen chegasse ao intervalo com alguma esperança e poderia até ter descansado com um empate, não fosse a finalização torta de Bittencourt, aos 40 minutos, quando saiu na cara de Hradecky.

No segundo tempo, Havertz encontrou Diaby pela esquerda, e o cruzamento foi preciso para Weiser aparecer na área e ampliar de cabeça. O jogo estava aberto suficiente para que o Bremen tivesse uma chance de encostar novamente, mas Eggestein chegou batendo mal para completar o passe rasteiro de Selke à entrada da área.

Havertz teve duas boas oportunidades para completar sua triplica, ambas desviadas a escanteio, antes de Demirbay, aos 33 minutos do segundo tempo, fechar o placar recebendo um passe de Bellarabi por trás da defesa e completando com uma cavadinha.

.

.

.

.

.

.

.