O treinador Arsène Wenger explicou que decidiu escalar Robin Van Persie no segundo tempo da partida contra o Stoke no domingo para poupar o atacante holandês.

“Antes de deixá-lo fora, você pensa umas 15 vezes 'eu realmente preciso fazer isso?'”, disse o treinador do Arsenal. “Mas eu achava que, nesse momento, olhando para o número de partidas que ele jogou e com o histórico dele [de lesões], tinha que ser cauteloso.”

“Ele jogou duas partidas inteiras com a Holanda e um inteiro contra o Sunderland. Ele jogou sozinho na frente contra o [Olympique] Marseille. Então, em algum momento, você tem que dar a ele uma pausa”, justificou Wenger.

Van Persie entrou na partida contra o Stoke aos 22 minutos da segunda etapa e marcou dois gols (aos 26 e aos 38 minutos) na vitória dos Gunners por 3 a 1. “O segundo tempo foi basicamente todo nosso, principalmente depois dos primeiros 15 minutos. O problema era marcar os gols e Van Persie pode fazer isso melhor do que qualquer um. Ele fez isso assim que entrou”, disse Wenger.

O treinador do Arsenal ainda elogiou Gervinho, que marcou o primeiro gol contra o Stoke e fez as assistências para os gols de Van Persie. “É claro que por conta dos dois gols de Robin, ele merece um enorme crédito. Mas acho que o Gervinho jogou bem e influenciou o jogo.”