Cristiano Ronaldo e Lionel Messi praticamente monopolizaram os prêmios de melhor do mundo desde Kaká, em 2007, com exceção da temporada em que Luka Modric foi homenageado por levar a Croácia à final da Copa do Mundo. A grande pergunta é: e quem vem depois? A aposta mais segura sempre foi Neymar. Para Arsène Wenger, ex-treinador do Arsenal, atualmente chefe de desenvolvimento técnico da Fifa, sim, mas acredita também em Mbappé e gosta da nova geração de jovens ingleses.

A Inglaterra vinha tendo sucesso nas competições de base antes da última Copa do Mundo, na qual chegou às semifinais, e entre seus jovens de maior destaque tem Jadon Sancho, do Borussia Dortmund, Phil Foden, do Manchester City, Marcus Rashford, do Manchester United, e Trent Alexander-Arnold, do Liverpool.

“Nunca havíamos visto jogadores assim, que podem ser criativos em situações apertadas. Esses jogadores estão chegando ao fim (de suas carreiras), Ronaldo, Messi, mas o que importa é a próxima geração”, disse, em entrevista à TalkSPORT.

“A próxima geração pode ser francesa. No momento, o principal jogador pode ser Mbappé, claro que Neymar também, como sabemos, mas ingleses também. A Inglaterra tem uma boa chance agora. Estão indo bem nas categorias de base. Foram bem com Gareth Southgate na Copa do Mundo. Eu esperava que na Eurocopa eles poderiam ser um dos candidatos”, completou.

A Eurocopa estava marcada para junho deste ano, mas precisou ser adiada por causa da pandemia de coronavírus.

.