Como não poderia ser diferente, a partida entre Arsenal e Chelsea deste domingo teve outro capítulo da polêmica entre Arsène Wenger e José Mourinho. Se eles pouparam as acusações diretas, sobraram queixas assim que o árbitro encerrou o duelo.

Arsène Wenger terá que se explicar à federação inglesa pelas declarações após o confronto. Desta vez ele não trocou farpas com José Mourinho, mas criticou a arbitragem do confronto, válido pela 17ª rodada da Premier League.

O técnico se irritou com a anulação de um gol marcado por Van Persie. “Marcamos um gol legítimo, mas o árbitro tomou uma decisão completamente errada. Associo o juiz e bandeirinha à mesma equipe, ou seja, o Chelsea”, disparou.

José Mourinho também não ficou quieto. O português acusou o Arsenal de querer forçar a expulsão de Michael Essien, após uma lance no qual ele deu uma cotovelada em Lauren. “O que eu vi foram dez jogadores do Arsenal pulando em cima do Essien como se estivessem prontos para isso. Foi como uma estratégia, como se pensassem ‘Vamos usar a imagem que o Essien tem e, no primeiro corpo a corpo que houver, iremos em cima dele’”, ironizou.

Wenger, claro, comentou a jogada. “O juiz não foi corajoso o suficiente mas era para o Essien receber o vermelho direto. Ele deu um cotovelada, não foi para pegar a bola, mas sim o adversário”, reclamou.