O Derby County parece decidido a se tornar uma escola para treinadores na Inglaterra. Depois do sucesso de Frank Lampard no comando da equipe na temporada passada, em que chegou aos playoffs de classificação à Premier League, o clube anunciou nesta terça-feira (6) um acordo para que Wayne Rooney se torne jogador e membro da comissão técnica dos Rams a partir de janeiro de 2020.

Atualmente treinado pelo ex-jogador holandês Phillip Cocu, o Derby fechou com o craque inglês por um período de 18 meses, contando a partir de janeiro do próximo ano, o que significa que Rooney ficará no clube ao menos até o fim da temporada 2020/21.

Para costurar o acordo com o jogador, o Derby apostou em dois pontos: o desejo do atacante de se tornar treinador após o fim da carreira como atleta e a suposta vontade da esposa do craque, Coleen Rooney, de retornar à Inglaterra. A imprensa inglesa afirma que Coleen não teria se adaptado aos Estados Unidos, onde Rooney joga pelo DC United, e estaria sentindo falta da proximidade com a família.

Ao aceitar o cargo de jogador e membro da comissão técnica, Rooney acena para uma possível aposentadoria como atleta no clube que atualmente disputa a Championship, segunda divisão do futebol inglês. Ser parte da comissão de Cocu é um primeiro passo para realizar seu próximo grande objetivo.

“Eu tinha uma decisão a tomar, e a decisão de vir jogar na Inglaterra e me desenvolver como treinador com Phillip Cocu era boa demais para eu recusar. Estou ansioso para chegar aqui em janeiro e ajudá-los em busca do acesso. Primeiramente, sou um jogador e sinto que tenho muita qualidade a trazer ao elenco. Em segundo lugar, quero aprender com o Phillip e sua comissão para ganhar experiência para quando eu dar o próximo passo”, disse Rooney em entrevista coletiva nesta terça-feira.

Em novembro do ano passado, enquanto esteve na Inglaterra para fazer sua partida de despedida da seleção inglesa, contra os Estados Unidos, no Wembley, Rooney já falava em entrevista ao site do Manchester United sobre sua vontade de ser treinador.

“É algo pelo qual sou apaixonado e que quero fazer. Obviamente, preciso completar meus cursos, o que estou fazendo nos Estados Unidos. Espero que, quando eu voltar à Inglaterra, já os tenha terminado e esteja em uma posição para aceitar ou rejeitar quaisquer ofertas que eu receba”, contou à época.

Rooney não descarta se tornar um dia comentarista na TV britânica, mas ainda assim quer tentar sua sorte como técnico antes de se abrir para outra carreira bastante comum entre ex-jogadores.

Cocu mostrou-se empolgado com a chegada do ex-jogador do Manchester United. “Suas credenciais falam por si só. Porém, ter um jogador com sua liderança, habilidade, experiência e seu caráter e empenho será enorme para nós. Ele sabe do que é preciso para ter sucesso como jogador, e não tenho dúvidas de que ele terá um impacto positivo em todo o clube.”

Após 13 anos no Manchester United, Rooney passou uma temporada no clube que o revelou, o Everton, antes de rumar aos Estados Unidos para defender o DC United. Assinou contrato de três anos e meio em junho de 2018 e, desde então, anotou incríveis 40 gols em 43 jogos, incluindo um clássico instantâneo do meio do campo, além de 23 assistências – também registrando uma jogada simbólica do tipo, após correr metade do campo no fim do jogo para dar um carrinho, roubar a bola do adversário e acertar um passe de 50 metros.

Como tem mostrado na Major League Soccer, o craque ainda é capaz de fazer diferença técnica em uma liga de menor escalão. O nível da Championship é superior ao da MLS, mas é possível que, ainda assim, Rooney entregue algo de interessante ao Derby. Se em campo isso pode não ser uma certeza, fora dele a repercussão de sua chegada certamente garante mais visibilidade aos Rams em sua busca pelo retorno à elite do futebol inglês.

Ter o maior artilheiro da história do clube com mais títulos de Campeonato Inglês é o tipo de empurrão no moral que pode fazer a diferença em uma disputa tão árdua como costuma ser a de acesso ao topo da pirâmide na Inglaterra.

Confira nosso último vídeo no YouTube e se inscreva no canal para fortalecer o jornalismo esportivo independente em mais um meio.