O Vitória tinha três opções para o lugar do auxiliar Ricardo Silva, que vinha substituindo interinarmente Paulo César Carpegiani no clube. PC Gusmão, Givanildo Oliveira e Felipão. O primeiro a ser procurado foi o ex-treinador do Ceará, ainda no sábado, mas, como a sua resposta demorou mais do que o esperado para vir, o time baiano tentou se resguardar e foi atrás do representante de Felipão. Não conseguiu contato. “Seria uma coisa emergencial. Se ele quisesse nos ajudar”, explicou ao blog o presidente rubro-negro, Alexi Portela, nesta terça-feira. PC Gusmão acabou sendo oficializado como técnico da equipe. Ontem, contra o América-MG, fez a sua estreia vencendo por 5 a 3 no Barradão. Deve ficar até o fim da Série B. Depois, parte para os Emirados Árabes. Com o acesso encaminhado, o Vitória não cogita voltar a procurar Felipão para 2013. “Não temos cacife para isso”.

O Vitória sondou mesmo o Felipão para essa reta final de Série B?

Não, não teve nada, não. A nossa opção sempre foi PC (Gusmão), entendeu? Foi uma negociação, mas não teve nada de contato. Conversamos internamente (sobre o nome de Felipão), mas na realidade o interesse nosso era mesmo em PC.

Mas o diretor do Vitória, Raimundo Queiroz, ligou para o representante de Felipão, não?

É. Exatamente. Ligou, mas não teve contato nenhum. Exatamente. Não teve sucesso no contato.

O fato de o Felipão estar em Portugal complicou?

É. Também.

Mas a primeira opção sempre foi o PC Gusmão e vocês queriam uma alternativa com o Felipão?

Pois é. Exatamente. A gente precisava (de uma alternativa). Tinha que mudar, entendeu?

Como é o contrato de PC Gusmão?

São apenas esses quatro jogos agora (da Série B).

Para o ano que vem, pode ser que venha outro treinador, então?

Não tem nada certo. Nós não conversamos… Conversamos que, claro, se ele fizer um bom trabalho, tem tudo para continuar, mas não conversamos nada a respeito disso. E tem outra questão que ele tem uma proposta de fora, dos Emirados.

Então, até por essa proposta, pode ser que PC acabe não continuando?

Exatamente.

O Felipão sonha com a Copa de 2014, mas até agora nenhuma seleção o procurou e pode ser que ele volte ao mercado…

(Interrompendo) Não, mas para a gente não tem cacife para isso, não. Seria, vamos dizer, uma coisa emergencial, entendeu? Se ele quisesse nos ajudar. Mas o Vitória ainda não tem cacife para ter um treinador no nível Felipão. Não temos dinheiro ainda para isso. Seria uma loucura que a gente ia fazer, extrapolar todo o nosso orçamento, mas não tem nada. Foi uma ideia que surgiu.

E para o ano que vem, presidente? O Vitória praticamente garantiu acesso…

Rapaz, eu só converso sobre isso depois que a gente subir, bicho. É tanta… Entendeu? As coisas no Vitória são muito complicadas. Tudo para a gente é difícil. Tudo para a gente é na emoção. Aqui, você tem que escolher se é com emoção ou sem emoção. No Vitória, é tudo com emoção! (risos)