A França é uma das grandes favoritas da Eurocopa, mas seus jogos têm sido mais sofridos do que o esperado muitas vezes. Isso, porém, não é um problema para Antoine Griezmann, uma das estrelas dos Bleus. Isso porque ele está acostumado a jogos com diferença mínima no seu clube, o Atlético de Madrid do técnico Diego Simeone. Sofrer, para o Atlético, é o cotidiano. Griezmann até esperava algo diferente com a camisa da França, mas destacou que é importante manter a mentalidade vitoriosa.

LEIA TAMBÉM: França precisou tomar susto para arriscar e virar contra Irlanda

A mentalidade tem muito a ver com o episódio que aconteceu no intervalo do jogo. Perdendo por 1 a 0 para a Irlanda, o time discutiu muito a portas fechadas. “No intervalo, nós estávamos todos gritando um com o outro, o técnico, os jogadores, todo mundo”, contou o atacante. “Nós precisávamos melhorar. Nós não fomos bons o bastante no primeiro tempo e então vimos outra França no segundo tempo, a que nós queremos que chegue à final”, analisou o jogador.

“Para mim, tem sido assim o ano todo. No Atlético, nós ganhamos partidas por 1 a 0 e sofremos até o fim. Eu esperava que fosse um pouco diferente com a França, mas até agora tem sido o mesmo. Temos que manter essa mentalidade. E pessoalmente, estou feliz com os dois gols e eu espero continuar ajudando o time”, disse.

A vitória contra a Irlanda foi mesmo sofrida. O time saiu perdendo por 1 a 0 e foi para o intervalo assim. Depois acabou virando o jogo para 2 a 1 no segundo tempo. Para isso, o técnico Didier Deschamps mudou o time, sacando o volante Kanté para colocar Coman em campo. Recuou Pogba e mudou do 4-3-3 para 4-2-3-1. Com Coman, Griezmann saiu da ponta direita para ficar logo atrás do centroavante. Foi ali que ele rendeu mais.

Chamamos a atenção para a mudança durante o jogo, que levou a França à vitória. Diego Simeone, no Atlético de Madrid, percebeu o quanto Griezmann pode render mais perto da área e mudou o time para aproveitar essa característica. Deschamps fez o mesmo contra a Irlanda e talvez a mudança possa ser até definitiva.

“O técnico colocou Kingsley Coman em campo. Kingsley é muito perigoso como ponta e eu estava atrás do atacante, mais perto da área, então eu estou muito feliz e espero que continuemos assim”, explicou Griezmann.

A França enfrentará Islândia ou Inglaterra no próximo dia 3 de julho, no Stade de France, nas quartas de final.