Era uma final de campeonato em Chattanooga, no Tennessee, estado no sul dos Estados Unidos. O Chattanooga Football Club, time que joga a National Premier Soccer League, uma espécie de quarta divisão do futebol no país e que é completamente amador, enfrentou o time B do New York Cosmos na final nacional da competição. A empolgação pela grande campanha era tanta que o estádio do time, que é completamente amador, ficou cheio. Foram 18.227 pessoas no Finley Stadium, que tem capacidade para 20.668. E muita gente ficou de fora. O clube não previa tanta gente e nem colocou tantos ingressos assim à venda. E apesar da derrota por 3 a 2 na prorrogação, os torcedores e o próprio clube se consideraram vencedores.

LEIA TAMBÉM: Segunda melhor média de público, Orlando City tem torcida mais amistosa e engajada da MLS

Um dos motivos de comoção, que se canalizaram no esporte, foi que Chattanooga foi vítima de um ataque terrorista no dia 16 de julho. Segundo as autoridades americanas, Youssuf Abdulazeez, de 24 anos, abriu fogo em um post de recrutamento do exército americano. Depois, foi até instalações da Marinha dos Estados Unidos e novamente disparou, matando quatro pessoas, além de deixar três feridos. Acabou morto em troca de tiros com a polícia. Um dos feridos acabaria morrendo depois, vítima dos ferimentos.

Um dos fundadores do Chattanooga, Tim Kelly, comentou sobre a proximidade do ataque terrorista e a partida. “De certa forma, esta é uma função de estar no lugar certo na hora certa”, afirmou o dirigente. Como é tradicional em esportes dos Estados Unidos, foi cantado o hino nacional por Caitlin Hammon Moore, uma famosa cantora lírica que é nativa de Chattanooga.

“Eu certamente acho que a tragédia gerou uma grande quantidade de amor e simpatia por Chattanooga”, disse ainda Kelly. “Eu também acho que isto tem sido tanto sobre orgulho cívico quanto sobre futebol. Isto é sobre o tanto de amor por essa comunidade. Mas eu também acredito que nós estamos nos tornando uma Meca para este nível de futebol. Nós temos muitos convertidos ao futebol nesta área”, explicou o dirigente. Um dos membros da diretoria do Chattanooga, Marshall Brock, também falou sobre a noite incrível do time. “Nós realmente acreditamos no poder deste grande esporte em fazer unir as pessoas”, declarou.

O time termina a temporada como campeão da Região Sul, repetindo o que já tinha feito em 2014. Também foi campeão da Região Sudeste pela quinta vez, a quarta consecutiva. Dois brasileiros estão listados no elenco do time, os atacantes Luis Trude e Zeca. Acabou chegando à final nacional, mas caiu diante do New York Cosmos B. A esta altura, é o menos importante. O futebol serviu para dar um pouco de orgulho à comunidade de Chattanooga e lembrar que o esporte é o contrário da violência. É a alegria das pessoas em se unirem e torcerem pelo time da cidade.