A presença do jogador mais caro da Segunda B, a terceira divisão da Espanha, está causando controvérsia. Vinícius Júnior foi contratado pelo Real Madrid por € 45 milhões, mas ainda não estreou em jogos oficiais pelo clube. Ele tem jogado pelo time Castilla, que atua justamente na terceira divisão. Para o presidente do Cultural Leonesa, Felipe Llamazares, o brasileiro, de 18 anos, distorce a liga.

LEIA TAMBÉM: Enquanto Manolas foi ovacionado no Bernabéu, Modric saiu aos gritos de “Bola de Ouro”

Vinícius Júnior se transferiu do Flamengo para o Real Madrid em julho e fez a pré-temporada com o clube merengue nos Estados Unidos, incluindo jogando em algumas partidas, vindo do banco de reservas. Foi relacionado para a Supercopa da Uefa, contra o Atlético de Madrid, mas não entrou em campo. Na temporada, só jogou pelo time Castilla na terceira divisão espanhola.

Para Llamazares, é injusto ter um jogador desse nível disponível e afeta a liga. “A competição está sendo distorcida por certos tipos de jogadores, jogadores de classe mundial, e com certos times reservas”, afirmou o dirigente do Cultural Leonesa. “Vinicius pode jogar aqui hoje, mas amanhã, ele não joga contra um rival direto e isso distorce a competição”.

A reclamação do dirigente é porque Vinicius tem sido usado mais em jogos em casa, para não precisar viajar, o que por vezes acaba não sendo justo com todos os times que jogam a liga. O Cultural Leonesa joga com o Real Madrid Castilla no próximo domingo e é um dos times que tenta voltar à segunda divisão, depois de ser rebaixado na temporada passada. Até aqui, Vinícius entrou em campo em três jogos e marcou três gols.