Vinícius Jr. e Rodrygo saem do banco e protagonizam o gol da dura vitória do Real contra a Inter

Vinícius Júnior e Rodrygo já curtiram momentos de maior prestígio desde que chegaram ao Real Madrid. Criticados na imprensa espanhola com alguma frequência pela falta de consistência e limitados ao banco no importante confronto com a Internazionale pela Champions League nesta terça-feira (3), os brasileiros entraram em campo ao mesmo tempo na metade do segundo tempo e se associaram com brilho para garantir uma suada vitória ao Real por 3 a 2 no Estádio Alfredo Di Stéfano.

[foo_related_posts]

O primeiro tempo foi agitado e não precisou de muito para que a ação começasse. O Real Madrid era melhor no início e, com cinco minutos de jogo, já somava duas boas chances. Na primeira delas, Asensio parou em grande defesa de Handanovic. Na segunda, Valverde arriscou de longe e mandou por cima do gol.

A resposta da Inter veio logo, por meio da transição rápida. Aos dez minutos, Hakimi puxou o ataque com velocidade pela direita e cruzou baixo para Perisic, que esperava do outro lado. O croata se livrou da marcação de Valverde e cruzou para cabeçada de Barella, que acertou o travessão.

No lance seguinte, Lautaro Martínez, de dentro da área, chutou entre as pernas de Sergio Ramos e forçou Courtois a se esticar ao chão para fazer ótima defesa e evitar o primeiro gol do jogo.

Sempre que possível, o Real Madrid mantinha sua estratégia de marcar com linhas altas, pressionando a saída da Inter. Os italianos, por sua vez, se retraíam no campo de defesa, com uma linha de cinco homens e outra com quatro, apostando por vezes em contra-ataques rápidos pelas pontas.

Em um desses lances, a Inter levou bastante perigo com Vidal. Lautaro foi lançado pela esquerda, ganhou na velocidade e na força de Sergio Ramos, driblou o zagueiro e tocou para trás, onde se encontrava o chileno. Vidal então bateu forte, mas a bola passou rente ao gol de Courtois, tocando a rede pelo lado de fora.

Foi, por fim, a estratégia do Real Madrid a primeira a ser recompensada. Aos 25 minutos, Hakimi foi pressionado na altura do meio de campo e, ao tentar recuar para Handanovic, passou sem força suficiente. Benzema antecipou-se, driblou o goleiro e bateu para o gol vazio.

Oito minutos mais tarde, a defesa da Inter cochilou em cobrança de escanteio de Kroos, e Sergio Ramos subiu sozinho para cabecear e ampliar para 2 a 0.

Viva na disputa, a Inter respondeu rapidamente com um belíssimo gol. Aos 35, Barella deu um passe acrobático de calcanhar pelo alto para Lautaro, e o argentino ganhou de Varane para bater de direita e diminuir a desvantagem.

A primeira metade da segunda etapa foi muito mais quieta que aquela do primeiro tempo. Foi apenas a partir dos 20 minutos que as coisas voltaram a acontecer, começando pelas alterações de Zidane nas pontas: Asensio e Hazard, quietos no jogo, deixaram o campo para a entrada dos brasileiros Rodrygo e Vinícius Júnior. As cenas seguintes seriam de destaque à Inter, mas o protagonismo aguardava os brasileiros ao fim do jogo.

Aos 23 minutos, Sergio Ramos saiu para dar o bote e deixou um buraco na defesa. Vidal aproveitou para passar pelo alto para Lautaro, que ajeitou de cabeça para Perisic. O croata teve calma para ajeitar o corpo, evitar a aproximação da marcação e bater de esquerda para empatar em 2 a 2.

Os italianos aumentaram o ritmo e estiveram perto de alcançar uma incrível virada. Aos 30 minutos do segundo tempo, Mendy tentou afastar de cabeça, a bola caiu no pé de Lautaro Martínez, e o argentinou bateu colocado, da entrada da área. A bola passou rente ao ângulo esquerdo superior do gol de Courtois. No minuto seguinte, Perisic foi quem bateu perto do gol, chutando cruzado e rasteiro e vendo a bola passar raspando a trave esquerda.

Quando entraram em campo, Vinícius Júnior e Rodrygo ouviram de Zidane que deveriam acelerar o ritmo dos ataques e tirar proveito do cansaço da Inter. As instruções foram ouvidas, e os brasileiros combinaram em velocidade para recolocar o Real Madrid à frente. Aos 35 minutos, Vinícius avançou pela ponta esquerda e cruzou baixo, com força, para dentro da área, onde Rodrygo se encontrava. Com rapidez, antes da chegada da marcação, o camisa 25 dominou e bateu alto para vencer Handanovic e decretar o 3 a 2.

As entradas de Alexis Sánchez e Gagliardini no lugar de Perisic e Barella, com o intuito de dar um pouco de fôlego à reta final da Inter, não reverteram os caminhos do jogo. O Real Madrid se segurou firme e teve até mesmo a chance de ampliar já nos acréscimos, quando Modric levantou no peito de Benzema dentro da área e o francês dominou, protegeu e bateu forte, forçando Handanovic a fazer excelente defesa.

O revés é terrível para a Inter, que acumula apenas um ponto em três rodadas na Champions League. Somando todas as competições, a equipe de Antonio Conte vive agora uma sequência de seis tropeços (quatro empates e duas derrotas) em sete jogos.

Do outro lado, a sensação é de alívio. A vitória por 3 a 2 foi a primeira do Real Madrid nesta temporada da Champions League. Depois de perder surpreendentemente para o Shakhtar Donetsk em casa na abertura da competição, a equipe apenas empatou com o Borussia Mönchengladbach na segunda rodada. Agora, na terceira jornada, justamente contra o adversário teoricamente mais duro, seu triunfo enfim chegou.

Individualmente falando, Vinícius Júnior e Rodrygo são dois dos que mais têm motivos a comemorar a atuação. O autor do gol soma poucos minutos na temporada, cerca de 30 a cada jogo. Já o assistente do tento da vitória vinha especialmente sob a mira dos críticos na Espanha, visado por sua falta de capricho recente na definição de jogadas e, na semana passada, vítima de um episódio embaraçoso em que Karim Benzema foi filmado pedindo ao companheiro Ferland Mendy que não passasse a bola para o brasileiro, que não fazia bom jogo contra o Mönchengladbach.

Atualmente preteridos por Zidane, os jovens brasileiros precisam apresentar com maior consistência o fator decisivo mostrado nesta terça-feira. Por outro lado, o treinador deve entender também que, como garotos de apenas cerca de 20 anos, Vini e Rodrygo irão oscilar. Sua qualidade e potencial, no entanto, fazem valer uma maior insistência nos dois, especialmente quando as opções principais de momento, Hazard e Asensio, tampouco têm brilhado.