Para conseguir melhorar a performance de sua seleção, a Federação Vietnamita de futebol decidiu que abrirá as suas portas para receber jogadores que tenham raízes no país. A medida faz parte de um plano adotado pela federação depois dos recentes fracassos internacionais do selecionado.

O técnico do Vietnam, o austríaco Alfred Riedl, confirmou que está de olho em jogadores que atuem em clubes menores da Europa e que possam trazer mais qualidade ao seu elenco. Riedl, no entanto, já disse que será rigoroso na escolha, e que somente atletas que estejam na “terceira ou quarta divisões” de clubes europeus terão chances. “Abaixo disso, não estamos interessados”, disse o exigente técnico.

Riedl foi escolhido como treinador do Vietnam em abril passado, já como parte das mudanças feitas pela federação. O primeiro candidato a uma camisa da seleção é o atacante Le Hoang, do Legia Varsóvia, da Polônia, de 19 anos.

A entidade vietnamita resolveu mudar o curso das coisas depois que foi eliminada da Tiger Cup, uma competição que envolve países do sudeste asiático, patrocinada por uma marca de cerveja. A Tailândia é o maior vencedor da competição, com três conquistas. A Tiger Cup acontece a cada dois anos, desde 1996.

Nas eliminatórias para a Copa de 2006, o Vietnam taambém já está desclassificado, tendo ficado atrás da Coréia do Sul e do Líbano. No ranking publicado pela FIFA, os vietnamitas estão na 107a colocação, atrás na Nova Zelândia e à frente do Malawi.