Eu poderia tentar fazer literatura por aqui. Escrever palavras bonitas, abusar de metáforas, colorir com adjetivos. Mas final de Libertadores não se descreve, se sente. E o que a torcida do River Plate fez no Monumental de Núñez antes do duelo decisivo contra o Tigres foi indescritível. Os gritos, as luzes, os fogos, os trapos, os balões. Um caldeirão em vermelho e branco, fervendo nas almas dos 62 mil presentes. Tudo perfeito para uma grande noite, ainda que o futebol jogado não compense tanto assim. Os millonarios venceram o jogo por 3 a 0 e ficaram com a taça.

Sinta você também a final da Libertadores, ao menos com os olhos e com os ouvidos, no fantástico “recibimiento” do River: