As memórias do desastre de Hillsborough transformaram-se em pesadelo para milhares de torcedores do Liverpool. Muitos, por perderem seus familiares na tragédia. Outros, por apenas assistirem ao caos da TV. Mas também muita gente que estava no local e viveu um destino diferente das 96 vítimas fatais. Joe Smith era um dos presentes nas arquibancadas. O garoto de oito anos estava ferido no meio do pandemônio, até ser salvo. Um desconhecido o carregou nos ombros e o afastou do perigo. Herói que permaneceu desconhecido no imaginário do inglês ao longo dos últimos 27 anos.

A partir de seu Facebook, Smith lançou um apelo para tentar encontrar o salvador. Ele não havia visto sua imagem sendo carregado nos ombros desde o documentário lançado por Daniel Gordon, da BBC. Já nesta semana, com auxílio da ITV News, o inglês reencontrou o homem que o ajudou. Não escondeu as lágrimas ao ver John McMahon, o responsável pelo nobre gesto.

“John não gosta da palavra herói, ele acha um pouco estranho, mas é como eu o vejo. Ter a chance de finalmente conhece-lo depois de todo esse tempo e dizer obrigado, isso significa o mundo para mim”, declarou Smith. Já McMahon falou com humildade sobre a sua atitude ao perceber o garoto ferido: “Eu apenas estava fazendo o que as outras pessoas ao meu redor faziam. Você podia perceber que Joe não estava bem e precisava sair dali o mais rápido possível. Eu fiz aquilo instintivamente. O barulho, a pressão nas pessoas. Ele só precisava sair. Eu era um em centenas de pessoas fazendo o mesmo”.

As imagens dão ainda maior significado ao encontro: