Campeão da FA Cup em 1987 e presente na elite do Campeonato Inglês por mais de três décadas, de 1967 a 2001, o Coventry City se acostumou a comer o pão que o diabo amassou neste século. E o poço parece não ter fundo, com as campanhas medíocres se sucedendo a partir de então. Desde que deixou a Premier League, o clube sequer chegou a disputar playoffs de acesso nas diferentes divisões. Caiu para a terceirona em 2012. Já o ponto mais baixo de sua história recente veio na temporada passada, com o rebaixamento para a League Two, a quarta divisão inglesa. Não à toa, a insatisfação dos torcedores se escancara, como bem se viu nesta terça.

Tentando entrar na zona de acesso da League Two, o Coventry recebia o vice-lanterna Forest Green Rovers na Ricoh Arena. Conseguiu a proeza de ceder a segunda vitória ao time recém-ascendido da quinta divisão, com Keanu Marsh-Brown determinando o placar de 1 a 0 aos visitantes. E o lance de fúria aconteceu nos acréscimos do segundo tempo: enquanto o ponta dos Rovers tentava gastar o tempo na lateral do campo, um torcedor celeste invadiu o campo para gritar com seus jogadores. Se geralmente os invasores querem aparecer, este fez diferente. Sem ser barrado pelos stewards, estava ali para esbravejar. Só foi contido por um atleta de seu time, até ser retirado de campo e, então, levado pelos seguranças.

A situação do Coventry não é lá das mais animadoras. Com a derrota, o time já acumula três partidas sem vencer. Ocupa a oitava colocação, fora da zona de acesso da League Two. Os três primeiros colocados sobem à terceirona, enquanto os quatro times logo abaixo na tabela disputarão os playoffs pela quarta vaga.