Tassotti, Baresi, Costacurta e Maldini. Poucas linhas defensivas são mais emblemáticas na história do futebol. O Milan de Arrigo Sacchi tornou-se célebre principalmente por seu trio holandês, mas não dá para menosprezar a qualidade de seu quarteto italiano de zaga. Jogadores de qualidade técnica e inteligência excepcional, que fizeram daquele esquadrão rossonero um dos melhores de todos os tempos. Não à toa, os quatro defensores disputaram, juntos, três finais de Champions League e conquistaram duas – incluindo o último bicampeonato continental de um clube europeu. Ajudaram a revolucionar noções táticas com o timaço milanista.

VEJA TAMBÉM: Maldini e a grandeza de ser temido pelos melhores, de diferentes gerações

O vídeo abaixo traz um pouco da excelência defensiva do Milan de Arrigo Sacchi, muito além da precisão de Maldini nos desarmes ou do senso de Baresi para as coberturas. Afinal, o técnico italiano jogava com o regulamento sob os braços para montar uma das armadilhas mais eficazes do futebol na época. Em tempos nos quais o jogador na mesma linha do penúltimo defensor ainda estava impedido, e quando a recomendação era assinalar a posição irregular até mesmo de quem não participava da jogada, o Milan deitava e rolava com sua organização tática. Formava uma linha de impedimento pronta para destroçar qualquer tentativa de ataque adversário.

As imagens abaixo são dos duelos com o Real Madrid, pelas semifinais da Copa dos Campeões de 1988/89. O quarteto defensivo milanista não se cansou de armar a arapuca para o perigoso ataque merengue, que contava com Butragueño, Bernd Schuster e Hugo Sánchez. Os italianos seguraram o empate por 1 a 1 no Santiago Bernabéu, enquanto golearam impiedosamente por 5 a 0 no San Siro. Van Basten, Gullit, Rijkaard, Donadoni e Ancelotti marcaram os tentos na histórica noite de 19 de abril, um mês antes de outra goleada para ficar com a taça, 4 a 0 sobre o Steaua Bucareste de Gheorghe Hagi.

VEJA TAMBÉM: Nos 55 anos de Baresi, relembre a beleza dos desarmes do craque italiano

A regra do impedimento mudou, e para melhor. Diante do defensivismo que imperava no futebol da época, evidenciado principalmente na Copa de 1990, a International Board tratou de afrouxar as limitações. Ainda assim, vale perceber todo o trabalho feito pelo Milan. A coordenação e a inteligência tática, que primavam em um time, além de estrelado, também muito bem treinado: