O Giants Stadium não poderia ter nome mais propício para a ocasião em 1º de outubro de 1977. Naquele dia, o estádio americano recebia a despedida do Rei. Prestes a completar 37 anos, Pelé fazia naquele dia a última partida de sua carreira. Começou vestindo a camisa do New York Cosmos, clube que transformou em uma espécie de Harlem Globetrotters do futebol, mas do outro lado havia a sua velha paixão. E, para o segundo tempo, o camisa 10 trocou de cores e defendeu o Santos. Data histórica não apenas para os dois clubes, mas para o próprio futebol.

VEJA TAMBÉM: O Cosmos não foi o melhor time do mundo, mas foi o maior espetáculo

Mais que o jogo, o adeus de Pelé valeu pelo evento. Mais de 77 mil pessoas lotaram as arquibancadas para ver o Rei. E a lista de personalidades era grande, incluindo até mesmo o então presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter. Já em campo, o camisa 10 recebeu uma homenagem de ninguém menos do que Muhammad Ali, que seguia dono de três cinturões do boxe naquele momento. Pelé foi carregado nos braços pela torcida e fez um discurso transmitido pela TV americana – famoso especialmente pelo momento em que ele pede ao público repetir a palavra “love” três vezes.

Enquanto a bola rolou, Pelé só fez diferença com a camisa verde. Reynaldo abriu o placar para o Santos e o Rei empatou para o Cosmos em cobrança de falta. Já no segundo tempo, quando o atacante jogava pelo Peixe, a vitória por 2 a 1 dos americanos foi garantida pelo peruano Ramon Mifflin – curiosamente o substituto de Pelé na partida e também o herdeiro do número 10 quando o craque deixou o Santos, em 1974.

Abaixo, dois vídeos: o discurso de Pelé e um compacto do jogo.