Arturo Vidal enxerga sua história no Barcelona já no fim. Isso explica a liberdade com que o chileno tem se posicionado publicamente em assuntos relacionados ao clube. Depois de dar a entender que estaria do lado de Messi na disputa que se deflagrou com o pedido do argentino para deixar o clube, Vidal falou abertamente sobre o momento difícil vivido pelo clube, criticando a falta de profundidade do elenco e afirmando que “não se pode ganhar sempre” só com o DNA da instituição.

Em declarações publicadas pelo Marca, Vidal reforçou que o Barça precisa mudar a sua forma de pensar, sendo capaz de enxergar que seu estilo de jogo hoje está defasado, superado por um futebol mais físico, ecoando as palavras recentes de Phillip Lahm.

“O Barcelona primeiro precisa mudar sua forma de pensar, precisa ver que o futebol evoluiu e que o seu DNA já está ficando para trás, outras equipes estão melhorando em outros aspectos. O futebol, no momento, é mais físico, de mais força e velocidade, e a técnica às vezes fica em segundo plano”, avaliou o chileno.

Na última temporada, ficou claro que a montagem de elenco do Barcelona não foi das melhores. Com muito desequilíbrio entre os setores e falta de opções diante de lesões e suspensões, o clube recorreu bastante a La Masia para completar o grupo em diversas oportunidades. A situação não é muito diferente neste início de trabalho de Ronald Koeman, que terá que chamar vários garotos para completar as sessões já que, como destacou o Marca nesta segunda-feira, o Barça começa sua pré-temporada, a 18 dias do início de La Liga, com 17 desfalques devido a lesões e convocações para seleções nacionais.

Vidal apontou o evidente problema de proporção entre jogadores experientes e crias da base no grupo culé: “O Barcelona precisa mudar muitas coisas. Um time que penso ser o melhor do mundo não pode ter 13 jogadores profissionais e o resto de garotos. Não porque não mereçam estar aqui, mas, nesta equipe, é preciso ter concorrência entre quem é melhor e quem tem que jogar”.

“Todas as equipes tem 23 jogadores para lutar por um lugar, crescer e ir melhorando a cada dia. Porém, quando não se evolui, quando você pensa que com o seu DNA você pode ganhar sempre, está muito equivocado”, completou.

Já quase atravessando a porta de saída do Barcelona, Vidal aproveitou para cavar uma vaguinha na nova Juventus que se constrói, sob o comando do novo técnico Andrea Pirlo, com quem o chileno fez parceria no meio de campo na própria Juve.

“É espetacular que o Pirlo tenha se tornado o novo treinador da Juventus. Ele foi incrível como jogador e (será) muito mais como treinador. Se ele ou o clube me ligassem, ficaria feliz. Mas tenho que ficar tranquilo. Se acontecer, acontece. Tenho muito carinho por eles.”

Embora nada concreto tenha chegado, Vidal, segundo diz a imprensa europeia, já foi informado por Koeman, logo na chegada do técnico neerlandês, de que ele não fazia parte dos planos para a temporada 2020/21. Por ora, o rumor mais forte liga o jogador a um retorno para a Itália, com Antonio Conte, da Internazionale, interessado em seu futebol.