A história do Campeonato Brasileiro reflete muito sobre a geopolítica brasileira nas últimas décadas. O estabelecimento do torneio, em 1971, fez parte de um pacote de projetos do governo militar para a integração nacional. E, no fim das contas, o futebol entrou no jogo político durante a Ditadura, com a célebre estratégia do “onde a Arena vai mal, mais um time no Nacional”. Especialmente entre as décadas de 1970 e 1980, diversas cidades de grande e médio porte estiveram representadas no certame. Ainda que a ocupação do território refletisse bastante a distribuição populacional, com clubes concentrados pelo litoral e no interior principalmente no Centro-Sul.

VEJA TAMBÉM: Da criação do Brasileirão aos elefantes brancos, como o futebol entrou no Plano de Integração Nacional

A representatividade de rincões mais afastados no campeonato nacional (especialmente na região Norte) se deu gradativamente, a partir da expansão do número de divisões. As Séries C e D, sobretudo, abriram as portas para locais menos povoados também sonharem com a ascensão na pirâmide do futebol brasileiro. Um processo que reflete o próprio sistema de inclusão na base da liga, tornando os estaduais como classificatórios. Através disso, o Campeonato Brasileiro, enfim, passou a preencher melhor o Brasil.

No mapa abaixo, fazemos um resgate histórico dos clubes que já participaram de ao menos uma das divisões no Brasileiro, desde 1959, até todos os confirmados em 2016 – restando a lacuna apenas sobre um dos participantes da Paraíba na Série D. Cada um está localizado no local do estádio onde costuma mandar os seus jogos. Os times se dividem conforme o máximo nível do Brasileirão que já disputaram. Desta maneira, um time na aba “Série B” nunca passou da segunda divisão, e assim por diante.

Também estão discriminadas as equipes que fizeram parte apenas da Taça Brasil ou do Robertão, demarcando os diferentes períodos históricos antes da unificação do Brasileirão – e a ficha de cada clube que participou das duas fases do torneio destaca o número de edições nas quais ele esteve depois de 1971.

Já as “participações” se referem apenas ao total na divisão máxima que aquela agremiação atingiu, sem somar as passagens pelos níveis inferiores. Por exemplo, em um time que já chegou à Série A, o número de vezes em que ele esteve na B não conta.

Para conferir o estádio de cada time, basta aproximar o mapa. Muitos escudos estão sobrepostos, por isso é preciso chegar mais perto da localização para diferenciar cada equipe. Além disso, a organização dos emblemas é feita automaticamente pelo sistema do Google Maps. Clubes com menos participações ou nas divisões inferiores do Brasileirão acabam aparecendo por cima.

O mais importante: divirta-se! E, ah, quem chegar ao último time da lista, ganha um bônus através do link =)

TRIVELA FC: Venha fazer parte do nosso clube de relacionamento e marque um gol pelo jornalismo independente!