A muralha amarela. A torcida que não para de cantar nenhum segundo. Os mosaicos maravilhosos. Um gramado impecável. E um time de futebol que encanta com a bola nos pés. A experiência de assistir a um jogo do Borussia Dortmund no Signal Iduna Park é quase perfeita, exceto por um probleminha fedorento: cocô de pombo.

Pois é, os pássaros tem um apreço especial pelo Westfalenstadion. Os cantos do estádio e as opções de refeição são atrativos irresistíveis, e muitas cadeiras são, digamos, marcadas pelas necessidades fisiológicas dos animais.

Isso está se tornando um problema para o clube, que já se mexe para tentar resolvê-lo. Há duas semanas, colocou 20 espelhos em formato de pirâmide que brilham como a cobertura do estádio. A ideia é simular a presença de uma ave de rapina e desviar a trajetória de voo dos pombinhos.

“Temos uma forte infestação de fezes de pombos”, admitiu o gestor de instalações do estádio André Neuhaus ao jornal Derwesten. Portanto, enquanto o sucesso do novo sistema não for comprovado, tome cuidado com onde você senta quando for ver o time de Jurgen Klopp jogar.