Promessa ou fracasso? Essa pergunta ficou no ar depois de um início promissor de Lucas no São Paulo e na seleção brasileira sub-20 e muitas oscilações do jovem jogador, de apenas 19 anos. Depois de subir cedo para o time principal, aos 18 anos e ainda não totalmente preparado, o meia oscilou, sentiu os efeitos de um time que não estava preparado.

Alternou bons e maus momentos e foi criticado publicamente pelo técnico Emerson Leão por prender demais a bola. Mostrou birra no jogo seguinte, gerando declarações infelizes do seu empresário, Wagner Ribeiro, que chegou a dizer que Lucas era uma Ferrari e que não estava sendo bem dirigida. Um recado a Leão, claro.

A situação foi contornada e Lucas voltou a aparecer bem. Neste domingo, contra o Santos, mostrou ser um jogador de nível internacional. Soube dosar suas arrancadas com passes e deixou os companheiros em boas condições de marcar. Tanto que deu o passe para Luis Fabiano ser derrubado pelo goleiro e sofrer o pênalti que gerou o segundo gol e fez a jogada do terceiro gol, que ele mesmo acabou marcando.

Depois do jogo, Leão declarou, irônico, que fez autoescola durante a semana e aprendeu a dirigir a Ferrari, uma clara resposta ao empresário do jogador. Lucas decidiu o jogo, foi bem tanto nos passes quanto nas arrancadas. Pode continuar sendo um dos destaques do time e aproveitar a experiência de Luis Fabiano em campo para evoluir ainda mais.

Lucas nunca será tão bom quanto Neymar. E isso não é um demérito. Neymar é um craque, já se mostrou em um nível que nenhum outro jogador brasileiro em atividade consegue chegar atualmente. Lucas poderá ser um excelente companheiro para Neymar na seleção e atuando pelo meio, e não só pela direita, como o técnico Mano Menezes tem utilizado o garoto. Mas saber que ele não é craque pode ajudar a que ele chegue muito perto disso na sua evolução natural. O que é bom para o São Paulo. E para a Seleção Brasileira.

Uma no cravo, outra na ferradura, mas boa partida de Casemiro

Conhecido como um volante que ataca melhor do que marca, Casemiro em 2012 tem sido melhor na sua posição. Seja por fruto de trabalho de Leão ou a autoconsciência do jogador (talvez ainda uma combinação de ambos), o fato é que o jogador melhorou, inclusive na marcação. No jogo contra o Santos, Casemiro mostrou que evoluiu, mas que ainda precisa ficar mais atento.

Casemiro participou de dois gols do time, marcando o primeiro e dando passe para Lucas fazer a jogada do terceiro. Só que seu papel de volante também foi cumprido. Em vários momentos do jogo, Casemiro esteve bem posicionado e fez o seu trabalho defensivo. A falha no segundo gol do Santos, porém, mostra que o jogador ainda precisa estar mais atendo especialmente quando está logo à frente da defesa, posição que ocupava quando recebeu no passe. É um jogador que, trabalhado, tem nível para seleção.

Curtas

– O Santos não tem com o que se preocupar com a derrota. Foi bem no jogo, Muricy Ramalho foi bastante ousado nas substituições e o time sentiu o cansaço. Como o jogo importava pouco para o campeonato, serviu apenas para testar um pouco mais o time – que ainda depende demais de Neymar, e esse é um defeito que precisa ser corrigido. Ganso, aos poucos, tem mostrado que pode mudar isso. Não o fez nesse domingo, mas tem feito na temporada.

– O Corinthians empatou um jogo incomum contra o Comercial, já que o time não costuma tomar muitos gols e tomou três no fim de semana. Nada de preocupação: o time era reserva. E fez bem Tite. Quarta, contra o Cruz Azul, o time precisa vencer para dar um grande passo à classificação em primeiro lugar no seu grupo da Libertadores, que é o que interessa ao time no semestre.

– O Vasco poupou jogadores no estadual e o fez corretamente. A situação do time na Libertadores é preocupante e ainda que a classificação não esteja tão distante, é preciso ter atenção. Se não der para ganhar o estadual, é uma pena, mas a classificação na Libertadores é mais importante.

– O Flamengo vence, não convence, mas isso não importa muito nesse momento. O time precisa é voltar a ficar atento e não permitir que a desatenção da última quinta, quando o time cedeu o empate ao Olimpia depois de fazer 3 a 0, se repita.

– O Londrina é o líder do returno do Campeonato Paranaense, depois de um primeiro turno não muito animador para a torcida. A boa campanha é, ao menos, uma esperança para que o time conquiste uma das vagas na Série D. Seria uma vitória ao time que voltou da segunda divisão estadual nesta temporada.