Apesar de ter cedido o empate, o Vasco alcançou um resultado importante nesta quarta-feira pela Libertadores. Com um homem a menos durante boa parte do segundo tempo, os cruzmaltinos empataram em 1 a 1 com o Libertad em Assunção. Com o resultado, o time de Cristovão Borges se isola na segunda posição do Grupo 5, com três pontos a menos que os paraguaios, mantidos na liderança.

O jogo no Rio de Janeiro começou equilibrado, com as duas equipes demonstrando interesse pela vitória. A primeira chegada do Vasco veio aos cinco minutos, com Nílton arrematando da entrada da área e o goleiro Rodrigo Muñoz fazendo a defesa. Dois minutos depois, o Libertad tentou a resposta do outro lado, em sobra de bola que Luciano Civelli mandou por cima da meta de Fernando Prass.

O gol que abriu o marcador para o Vasco aconteceu aos 16 minutos do primeiro tempo. Felipe sofreu falta na intermediária, Fagner cobrou e, na pequena área, Diego Souza desviou de cabeça para dentro da meta de Muñoz. O gol motivou ainda mais os cruzmaltinos, que se mantiveram melhores nos minutos seguintes ao tento. Aos 19, Nilton bateu forte de média distância e o goleiro teve trabalho para espalmar.

Os paraguaios demoraram a recobrar os sentidos, tendo boa chance de empatar aos 33 minutos. José Nuñez passou pela marcação de Eduardo Costa e bateu de fora da área, tirando tinta do travessão vascaíno. Quatro minutos depois, foi a vez de Civelli tentar surpreender Fernando Prass, errando o alvo de novo.

A situação dos cariocas começou a se complicar aos sete minutos do segundo tempo. O árbitro viu uma cotovelada de Diego Souza em Ismael Benegas e não teve dúvidas ao mostrar o vermelho para o camisa 10. Pouco depois, Miguel Samudio quase igualou o marcador. O lateral fez cruzamento, a bola desviou e Fernando Prass teve que intervir para evitar o tento. O Vasco atacaria novamente aos 18 minutos, em voleio de Dedé que Muñoz conseguiu encaixar.

O empate do Libertad, enfim, amadureceu aos 25 minutos, saindo dos pés de José Nuñez. O atacante pegou sobra de bola da defesa e acertou o canto de Fernando Prass, que nada pôde fazer. Com um homem a mais, coube ao Gumarelo sair pressionando em busca da virada, diante de um adversário bastante recuado. Aos 28, Civelli aproveitou rebote para arrematar por cima do travessão.

A barra vascaína só aliviaria aos 36 minutos, quando Nuñez recebeu o segundo cartão amarelo e deixou as equipes com igualdade numérica em campo. Fechado na defesa, o Vasco ainda quase conseguiu retomar a vantagem aos 45, com William Barbio errando a meta adversária por pouco. Nos acréscimos, Fernando Prass ainda salvaria chute de Victor Ayala, garantindo o empate.