O Campeonato Brasileiro é dividido em quatro divisões. São 100 times na hierarquia até a Série D. E, não bastassem os números vergonhosos levando em consideração só a Série A, o Vasco consegue passar por outras humilhações quando comparado com os demais níveis. Números que simbolizam uma equipe candidatíssima ao rebaixamento e bastante desequilibrada, com um ataque que não produz e uma defesa nada confiável. Algo ressaltado outra vez nesta quarta, com a derrota por 3 a 0 para o Corinthians.

VEJA TAMBÉM: Paulo Baier vive a antítese de defender o Juventude e ajuda a boa campanha na Série C

Em números absolutos, ninguém sofreu mais gols (29 ao todo) ou tem saldo pior (21 negativos) do que o Vasco. E, por mais que se relativizem os números, já que as divisões inferiores ainda não completaram 16 rodadas (são 15 na B, nove na C e três na D), as médias não deixam de ser péssimas. A de gols sofridos é a terceira pior considerando os clubes até a Terceirona, atrás apenas de Icasa e Mogi Mirim. Já a de gols anotados só é superior às de Joinville, Caxias e Guaratinguetá entre os mesmos 60 participantes. Marcas da campanha vexatória dos vascaínos, com 12 pontos, a esta altura bem pior do que as de 2008 (19 pontos) e 2013 (20), quando o clube foi rebaixado.

Das 16 partidas do Vasco no Brasileirão, em seis o adversário anotou três ou quatro gols. E a sequência tenebrosa tem sido pior nas últimas cinco rodadas, quando o time sofreu três derrotas por mais de três gols de diferença, com 14 tentos engolidos no total. Nesta quarta, o novo vareio veio diante do Corinthians, com os três gols anotados apenas no segundo tempo. Resultado que coloca enorme pressão sobre Celso Roth, cujo impacto inicial durou pouco e que já demonstra publicamente desgastes com o elenco.

Historicamente no Brasileirão, há defesas piores do que o Vasco, considerando anos com médias de gols superiores do torneio. A última vez que um time levou 29 ou mais gols até a 16ª rodada foi em 2012. Entretanto, o que assusta é a disparidade dos cruzmaltinos em relação aos rivais nesta edição da Série A. Santos e Avaí possuem a segunda defesa mais vazada, mas com apenas 22 gols tomados. Sete a menos que os cariocas: uma diferença gritante de 24% a mais, em um campeonato que nem chegou à metade.

VEJA TAMBÉM: Campeonato por campeonato, canal por canal: veja quem passa o que na TV brasileira

Já o ataque, que passou em branco em oito dos 16 jogos até agora, consegue ser neste momento o pior da história dos pontos corridos. Desde 2003, todas as 246 campanhas até a 16ª rodada marcaram mais do que o Vasco atual – até o Náutico de 2013, que possuía o recorde negativo de nove tentos. Os cruzmaltinos, no entanto, ainda podem ser superados neste domingo. Para que isso ocorra, basta que o Joinville passe em branco contra o Avaí. Mas, considerando que os tricolores atuam em casa e diante da segunda pior defesa do campeonato, há risco para os vascaínos.

E, subtraindo ataque e defesa, o saldo de gols também consegue ser o pior dos pontos corridos após 16 rodadas. Os 21 tentos negativos superam o inesquecível América de Natal, dono da pior campanha desde 2003, que chegou a -18 a esta mesma altura em 2007 – e acabou igualado pelo Avaí quatro anos depois. Neste quesito, não dá nem para esperar uma ajudinha do Joinville, com -12 atualmente.

Os próximos passos do Vasco? Acima de tudo, vencer, já que gols feitos e sofridos são parte do caminho. Na antepenúltima colocação, os cariocas têm uma tabela interessante entre o fim do primeiro turno e o começo do segundo. Durante as próximas cinco rodadas, pegam exatamente os outros cinco piores colocados na tabela neste momento. Na ordem: Joinville (casa), Santos (fora), Coritiba (casa), Goiás (fora), Figueirense (casa). Chance e tanto para os cruzmaltinos se recuperarem. Ou, se não conseguirem aproveitar, o caminho aberto para a queda à Série B logo no próximo ano.