Após fazer um primeiro tempo abaixo das expectativas, o Vasco provou ter elenco para chegar a uma vitória fundamental na Libertadores. Saídos do banco de reservas, Allan e Juninho foram preciosos na obtenção do triunfo por 2 a 0 sobre o Libertad, para a alegria dos torcedores presentes em São Januário. Os vascaínos somam agora sete pontos e aparecem na segunda colocação do Grupo 5, em desvantagem para o Gumarello apenas nos gols marcados fora.

Apesar da iniciativa durante o começo da partida, os cruzmaltinos não conseguiam encontrar espaços na defesa paraguaia. Já o Libertad chegou pela primeira vez aos 12 minutos, em finalização de Cristian Menéndez que Fernando Prass defendeu com comodidade. Oito minutos depois, Luciano Civelli se lançou ao ataque e arrematou cruzado, com perigo, tirando tinta da trave vascaína.

Diante da impaciência da torcida, a primeira finalização do Vasco só aconteceu aos 32 minutos, com Felipe carimbando a marcação. No fim da etapa, os repolleros ficaram ainda mais acuados na defesa e Fagner tentou se aproveitar, mas seu tiro acabou desviado em um defensor e saindo pela linha de fundo.

Percebendo o fraco desempenho de sua equipe, Cristovão Borges promoveu duas mudanças no intervalo, colocando Allan e Juninho nos lugares de Eduardo Costa e Éder Luiz. A transformação na postura foi visível e, aos três minutos, após cruzamento de Fagner, Alecsandro cabeceou ao lado do gol. Instantes depois, o centroavante ainda exigiria defesa tranquila do goleiro Rodrigo Muñoz, em chute da entrada da área.

A vontade renovada dos cruzmaltinos foi premiada com o gol aos sete minutos. Após escanteio afastado pela defesa, Juninho arriscou o arremate da lateral esquerda e acabou surpreendendo Muñoz para abrir a contagem. O bom momento dos cariocas tinha continuidade e Willian Barbio quase deixou o seu de cabeça, recebendo passe de Juninho.

Não demorou muito para que o Vasco ampliasse a diferença, aos 17 minutos. Allan fez grande jogada pelo lado direito e, após driblar a marcação, centrou para Alecsandro colocado na linha da pequena área. De frente para o gol, o centroavante não perdoou, batendo de primeira para as redes.

Depois do segundo tento, os vascaínos diminuíram seu ritmo no encontro, se retraindo mais na defesa e tentando explorar contra-ataques. A partir dos 30 minutos é que o time passou a finalizar um pouco mais e, aos 36, Felipe Bastos tirou tinta da trave, em tentativa de dentro da área. Já aos 45, Willian Barbio finalizou para fora, desperdiçando a última chance do jogo.