Vasco e Flamengo fizeram um jogo muito intenso nesta noite de sábado em Brasília, que sobrou vontade e intensidade. O empate por 1 a 1 foi lamentado pelos dois lados, o que, de certa forma, foi surpreendente. O Vasco, mesmo em má fase, conseguiu fazer um grande jogo no primeiro tempo, sendo melhor que o rival, enquanto o Flamengo só melhorou no segundo tempo, quando arrancou o empate e trocou chances com o time de São Januário.

LEIA TAMBÉM: É impossível não se emocionar com a visita do menino Nickollas aos jogadores do Palmeiras

Em crise em campo e fora dele, o Vasco vendeu o mando de campo para jogar no estádio Mané Garrincha, em Brasília. Segundo informações do canal Premiere, que transmitiu o jogo, o valor da cota oferecido ao clube cruz-maltino foi de R$ 500 mil. O jogo teve público de 54.288 pessoas, com renda de R$ 2.902.950,00.

Uma das novidades do técnico do Vasco, Alberto Valentim, foi Fabrício. O lateral esquerdo foi escalado no meio-campo, uma posição que ele conhece bem. Na Portuguesa, onde jogou de 2009 a 2011, ele foi camisa 10, armador e foi assim que brilhou até que foi para o Internacional, em 2011. O treinador mudou completamente o esquema tático do time, atuando em um 4-3-2-1, um esquema árvore de natal, ao menos no desenho. Raul atuou pelo lado direito do meio-campo, se revezando no apoio de Lenon. Fabrício teve a responsabilidade de armar o time e Ríos teve liberdade. Maxi López jogou no ataque, sendo a referência, e também foi importante, ainda que não tenha conseguido desenvolver muitos lances.

O Flamengo teve em campo um 4-1-4-1, com uma formação que tem sido a habitual, com Vitinho como titular na ponta esquerda, Éverton Ribeiro na ponta direita e Diego e Lucas Paquetá pelo meio, com Piris da Motta como volante atrás deles, protegendo a defesa. Desta vez, o escolhido como centroavante foi o colombiano Fernando Uribe. Paquetá, como sempre, foi muito voluntarioso, se apresentou muito para o jogo. Tanto que foi Renê o jogador que mais tocou na bola (100), pela saída que fez de jogo pelo lado esquerdo, mas depois dele, Éverton Ribeiro e Lucas Paquetá foram os que mais tocaram na bola (84 vezes).

Precisando dar algum sinal de vida, já que entrou na zona do rebaixamento, o Vasco conseguiu fazer um primeiro tempo acima do esperado. Pressionou muito no início e nos primeiros 20 minutos acuou o Flamengo no seu campo de defesa. Diego Alves precisou fazer um milagre e Ríos ainda perdeu uma boa chance. O gol viria pouco depois.

Fabrício fez passe em profundidade para Raul na direita, que cruzou para a área. Maxi López finalizou, o goleiro Diego Alves defendeu e o próprio atacante do Vasco se jogou na bola para tocar. A bola sobrou quase em cima da linha para Ríos marcar o gol: 1 a 0, aos 28 minutos. Melhor na partida, o Vasco tentou mais vezes, novamente explorando Raul, que tentava fazer mais jogadas de linha de fundo. Ríos foi muito esforçado, embora tenha errado bastante. Mesmo assim, o Vasco poderia ter chegado ao segundo gol.

O segundo tempo teve um panorama bem diferente. O Flamengo voltou muito melhor e conseguiu avançar ao ataque. O Vasco optou por se defender, também sentindo fisicamente o jogo. E logo aos 13 minutos, o meia Diego acabou expulso por reclamação. Ainda não se sabe o que ele falou para o árbitro. Mesmo com um a menos, era o Flamengo que atacava mais e tentava, ainda que se muita criatividade, embora se esforçando muito. Pará, pela direita, cruzou para a área e Luiz Gustavo foi mal no lance. Mergulhou para tentar cortar o cruzamento e marcou um golaço contra. O Flamengo, então, passou a buscar a virada.

O jogo esfriou aos 27 minutos com um susto enorme. O volante Bruno Silva se chocou no alto com Luiz Gustavo e caiu no gramado desacordado. O susto foi grande, com médicos entrando em campo e depois a necessidade de uma ambulância para retirar o jogador para levá-lo ao hospital. Ainda proporcionou uma cena ridícula: a ambulância não pegava. Com isso, os jogadores empurraram a ambulância para que ela pegasse no tranco.

Como o Vasco já tinha feito três substituições, o time ficou com 10 jogadores em campo e jogou até o final com o mesmo número de jogadores do Flamengo. Virou uma briga de foice no escuro: os dois times passaram a ter chances a cada ataque. A parte física passou a pesar, com os dois times sentindo o desgaste. Não faltou batalhar, mas faltou um bom jogo, especialmente do Flamengo, que mais uma vez decepcionou em relação ao seu jogo. O Vasco lamenta não ter vencido por ter feito um bom jogo, mas melhora em relação ao que vinha jogando nas partidas anteriores.

Em termos de classificação, o resultado foi ruim para ambos. O Vasco segue na zona do rebaixamento, com 25 pontos. O Flamengo tem 45 pontos e perde a chance de tirar parte da diferença para os líderes, já que o Inter e o São Paulo têm 49 e ainda jogam na rodada. No próximo fim de semana, o Flamengo recebe o Atlético Mineiro, no domingo, e o Vasco receberá o Bahia, na segunda.