Para quem iniciou o ano sem muitas perspectivas, pela situação claudicante tanto nos bastidores quanto nos primeiros jogos do Campeonato Carioca, o Vasco desfruta de sua nova realidade. Ao menos em campo, os cruzmaltinos trabalham para não deixar resquícios à desconfiança. A equipe de Zé Ricardo começou voando nas preliminares da Libertadores e, depois de implodir a Universidad de Concepción, também abriu a terceira fase destroçando o Jorge Wilstermann. Sim, os bolivianos tomaram de 8 a 0 do River Plate no último ano, mas vinham de uma campanha respeitável no torneio continental, alcançando as quartas de final. Na visita a São Januário, entretanto, o Aviador não viu a cor da bola. Partidaça dos vascaínos, que golearam por 4 a 0 e ficam a um triz da classificação à fase de grupos.

O primeiro tempo do Vasco foi de luxo. Os cariocas simplesmente amassaram o Jorge Wilstermann, controlando o jogo e se impondo no campo de ataque. Considerando a superioridade e a pressão, a diferença nos 45 minutos finais ficou barata aos bolivianos. Depois de algumas boas chances criadas, os cruzmaltinos abriram o placar aos 18. Aproveitando rebote, Paulão estufou as redes. E embora não fizesse o goleiro trabalhar tanto, o time da casa ampliou aos 40, graças à inteligência de Paulinho. Em bola que pingou livre para dentro da área, o garoto avançou diante da linha de impedimento e cabeceou na saída do arqueiro Arnaldo Giménez. O camisa 11 ainda levou um soco na cabeça durante o lance, mas nada que atrapalhasse a vantagem dos anfitriões.

O trio formado por Wagner, Evander e Paulinho, sobretudo, comandava a ótima exibição do Vasco. E os cariocas seguiram melhores ao segundo tempo, com boas oportunidades de ampliar. O Jorge Wilstermann, porém, começou a sair um pouco mais ao ataque e assustou a partir das substituições. De qualquer maneira, sobravam mais espaços para os contra-ataques dos cruzmaltinos. Na base da vontade, a equipe da Colina fechou a conta com mais dois gols, já depois dos 42 minutos. Riascos, que sofrera um pênalti não marcado pouco antes, ajeitou a bola na entrada da área e Yago Pikachu anotou o seu, com um belíssimo tiro cruzado. Por fim, nos acréscimos, em ótima trama coletiva, Thiago Galhardo cruzou e Rildo completou de cabeça. Os três substitutos escolhidos por Zé Ricardo acabaram por participar diretamente dos tentos.

O Vasco demonstrou um problema ou outro na partida, como a atuação morna de Andrés Ríos e a afobação em certos momentos do segundo tempo. Mas nada que diminua a grande vitória do time, contra um rival do qual se esperava mais. Os cruzmaltinos viajam bem mais tranquilos à cidade de Sucre, onde acontecerá o duelo de volta. Falta pouco para que o clube se confirme na fase de grupos. Por aquilo que têm apresentado até agora, os vascaínos podem se colocar no páreo pela classificação na chave parelha em que deverão entrar – enfrentando Cruzeiro, Racing e Universidad de Chile. Os resultados iniciais servem de credencial.