A temporada do Leicester termina com uma sensação de frustração. As Raposas não figuravam entre os candidatos a uma vaga na Champions League antes do início da Premier League: colocaram-se lá por méritos, depois de uma campanha fantástica no primeiro turno. Entretanto, a queda de desempenho marca a decepção. O time de Brendan Rodgers chegou a abrir 14 pontos de vantagem no G-4 e permaneceu na zona de classificação por 33 rodadas. A derrocada anunciada seria, por fim, consumada neste domingo. Mesmo que dependesse apenas de si, não surpreendeu a derrota do Leicester diante do Manchester United, no confronto direto dentro do Estádio King Power. E se há um consolo, além da Liga Europa, é a artilharia concedida a Jamie Vardy. O ídolo azul levou para casa a Chuteira de Ouro do Campeonato Inglês pela primeira vez.

Foi uma temporada especial a Vardy, apesar dos pesares. O atacante chegou a emendar oito partidas consecutivas balançando as redes na Premier League durante o primeiro turno e protagonizou o ápice deste Leicester, com um hat-trick na goleada por 9 a 0 sobre o Southampton – placar recorde a um time visitante na história do Campeonato Inglês. O centroavante também chegou à marca dos 100 gols na era Premier League, apenas o 29° a ultrapassar esta barreira desde 1992/93.

Vardy caiu de produção com o time e viu sua fonte de gols secar no segundo turno. Ainda assim, suas melhores atuações mantiveram as esperanças das Raposas em alcançar a Champions – não só marcando gols, mas também contribuindo com assistências. E, no fim das contas, a vantagem estabelecida no início do torneio contribuiu para que o camisa 9 levasse a Chuteira de Ouro no final. Foram 23 gols, um a menos que na temporada do título em 2015/16 – quando, no entanto, Harry Kane ficou à frente na artilharia da Premier League. Repetindo o feito de Gary Lineker em 1984/85, o Leicester teve o artilheiro do campeonato.

Vardy, de quebra, se torna o segundo jogador mais velho a conseguir a artilharia do Campeonato Inglês na história da competição. Aos 33 anos, o ídolo do Leicester só é superado por Ronnie Rooke, antiga lenda do Arsenal que já tinha 36 anos quando ficou com a Chuteira de Ouro e ainda liderou os Gunners ao título de 1947/48. Foram 33 gols assinalados pelo veterano naquela campanha. Vardy, em compensação, supera o antigo recorde de Didier Drogba na era Premier League – com os 32 anos do marfinense na artilharia de 2009/10.

“Felizmente, não sinto minha idade. Minhas pernas e tudo mais estão ótimos. Não sofro com muitas lesões, então é importante se manter em forma desta maneira e voltar o mais forte possível para a próxima temporada. Estou obviamente contente. Isso é sobre o time. Não estaria nesta condição se não fossem meus companheiros. Vamos descansar um pouco e esperamos estar prontos para a próxima temporada”, declarou Vardy, em entrevista à Sky Sports, após receber a Chuteira de Ouro.

“Sim, foi decepcionante não ir à Champions. Mais do que apenas por esta derrota. O objetivo no início da temporada era nos classificarmos às competições europeias e conseguimos isso. Mas ter a chance de ir à Champions era ainda melhor. Infelizmente, não era para ser. Temos que refletir sobre isso e tentar voltar mais fortes à próxima temporada. É difícil de aceitar, mas, como eu disse, o objetivo da temporada era ir pelo menos à Liga Europa e conseguimos”, complementou o centroavante.

As circunstâncias podem ter ajudado Vardy nesta temporada. Os gols de Manchester City e Liverpool acabaram bem distribuídos, Harry Kane não rendeu tanto em uma temporada bagunçada do Tottenham, Pierre-Emerick Aubameyang pode dizer o mesmo quanto ao Arsenal, Danny Ings não tinha tanta força ao seu redor no Southampton e já superou as expectativas. Mas não é nada disso que tira os méritos do centroavante do Leicester. Pelo contrário, ele potencializou um time que apresentou um futebol atrativo durante parte da campanha. Revigorou seu nome como um dos principais atacantes do país e voltou até a ser cotado à seleção inglesa. Neste século, afinal, o único inglês a ter sido artilheiro da Premier League antes de Vardy foi mesmo Kane.

E, pelo estilo de jogo, Vardy mostrou que pode seguir rendendo muito bem além dos 33 anos. As arrancadas e a explosão seguem letais, proporcionando gols importantes ao Leicester. Mesmo assim, o centroavante se adaptou ao jogo cadenciado da equipe e dependeu menos do físico para anotar muitos desses tentos, movimentando-se para abrir espaços e ocupando a área com inteligência. Repetir a Chuteira de Ouro não é uma missão simples. Porém, se as Raposas se mantiveram competitivas, o camisa 9 já indicou que pode continuar garantindo os gols lá na frente. É um personagem cada vez mais histórico no futebol inglês.