O técnico Ernesto Valverde vive uma pressão no Barcelona. O desempenho do time está aquém do que poderia, como na temporada passada, mas o que mudou é que os resultados passaram a ser piores. O mais recente foi um empate por 0 a 0 com o Slavia Praga, pela Champions League. Apesar de toda pressão, ele segue no cargo. Mais do que isso, disse que se sente respaldado pela diretoria do clube. “Estivemos jantando com ele. O clube sempre me apoiou e me sinto respeitado”, afirmou, em coletiva de imprensa.

O treinador falou sobre a partida contra o Celta, neste fim de semana. “Está em uma situação difícil. Um pouco inesperado. Nas últimas partidas, tomara um gol no final. Com o Getafe, sentiram o nervosismo. É uma equipe que tem bons jogadores, não é normal que tenham tão poucos gols com os jogadores que possuem. A longo prazo é uma equipe que sairá dali, eles precisam recuperar esse ponto de confiança para demonstrar o talento que têm”.

“O que precisamos é de uma vitória. Viemos de perder uma partida em Valencia em seis minutos. Precisamos da vitória e retomar o caminho de somar três pontos. O certo é que estamos motivados para isso. Reconhecendo a dificuldade da partida, temos que manter a liderança”, continuou o treinador.

“Com dois treinamentos, nos preparamos para a partida contra o Slavia. Vem sendo habitual toda a temporada. Antes desta partida vamos ter dois treinamentos. A semana não dá para mais. Acontece o mesmo com todas as equipes, não acredito que haja uma semana de oito dias, muito menos o calendário chinês, mas não sei”.

“As equipes de cima tem perdido muitos pontos. Tenho que analisar como tem sido as partidas dos demais. O ano passado perdemos três partidas e este ano e perdemos poucos jogos. Aí que está. Não estivermos bem em muitos deles e outro nos escaparam de forma incrível. O normal é que não se perca tantos pontos para o segundo ou terceira”.

“Estamos atravessando diferentes problemas em um curto espaço de tempo. Fizeram gols chegando pouco. Outro dia nos fizeram três. Acredito que temos que esperar um pouco. O outro dia não tivemos uma boa sensação com o Slavia e só recebemos uma ocasião. Devemos entender que isso nos causa instabilidade em abordar a meta, porque isso significa que não estamos atacando”.

Um dos assuntos foi a possibilidade do jogo entre Barcelona e Real Madrid, remarcado para o dia 18 de dezembro, ser disputado ao meio-dia, no horário local da Espanha. O problema é que seria em um dia de semana, uma quarta-feira, o que incomoda os torcedores locais. O horário é para atender a locais como o mercado asiático. Seria o horário do jogo no dia 27 de outubro.

“Eu não entenderia. Não tenho notícias disso, mas de cara a gente não estaria bem. O normal é que se jogue durante a tarde. Está bem que se possa ver em países distantes, mas que não cause problemas para quem está aqui”.

O técnico foi perguntado sobre a possibilidade de alguns jogadores deixarem o clube no mercado de inverno, em janeiro. “Não estou na cabeça de cada jogador. O clube terá seus próprios interesses. Se confluírem os interesses de jogadores e clube, alguém poderá sair. Mas não sei”.

Um dos pontos que se comenta sobre o Barcelona é que o time tem que tentar encaixar Antoine Griezmann e Lionel Messi. Os dois ocupariam uma mesma faixa de campo e, além disso, há uma diferença de mentalidade e tipo de jogo entre o que Griezmann estava acostumado pelos anos de Atlético de Madrid.

“Se fala muito disso e tenho a sensação mais simples do que parece. Griezmann está acostumado a um jogo diferente do nosso. No Atlético, quando toma a bola, você procura atacar rapidamente. Qualquer desmarcação sempre requer corrida, porque é o seu jogo. Temos que buscar o momento adequado. Antoine é muito generoso, corre muito espaço e recupera a posição. No outro dia, tivemos que amadurecer muito a jogada. Nós temos que nos acostumar ao que faz Griezmann e ele ao que nós fazemos. Há jogadores que estiveram aqui, como Neymar, que no primeiro ano também teve dificuldades. Logo estará mais acostumado”.

O treinador falou também sobre Ousmane Dembélé, um jogador que tem sido muito criticado pelo seu mau desempenho. “Se falou muito sobre isso na sala de imprensa. Sabemos que pode nos dar muito. Às vezes, quando ele pega a bola, queremos que ele faça uma genialidade em cada jogada. Tem que endurecer em alguns aspectos. Encontrar um jogador assim no mercado é muito difícil agora mesmo. Quando ele faz isso, vemos que temos um grande jogador. Todos esperamos mais, claro”.

O atacante Luis Suárez está machucado e ainda é dúvida para a partida de domingo. Ele foi convocado pela seleção uruguaia para amistosos na próxima semana, mas o técnico do Barcelona colocou em dúvida a apresentação do atacante. “O que é melhor é que ele jogue conosco. O que estou esperando é que amanhã ele está disponível para poder jogar. Se não jogar conosco, será difícil que possa ir para a seleção”.

Campeonato Espanhol: Barcelona x Celta de Vigo
Sábado, 17h – ESPN Brasil (Clique aqui e assine, com 7 dias grátis)