Ernesto Valverde não guarda ressentimentos pela maneira como foi demitido do Barcelona ou pelo menos foi isso que deixou transparecer em suas primeiras declarações desde que foi substituído por Quique Setién, no mês passado.

O treinador retornou ao San Mamés para receber um prêmio na cúpula internacional de futebol sediada em Bilbao, a qual compareceu o treinador da seleção brasileira Tite, e falou sobre sua saída do Barcelona.

“No momento em que você assina o contrato, sabe que está no auge de sua popularidade com o Barça. A partir dali, depende de como saem os resultados. Não penso se fui ou não tratado injustamente. No fim das contas, trata-se de virar a página. Tenho interesse em olhar para frente, não para trás. Para mim, treinar o Barcelona foi uma sorte incrível. Foi bom ter estado lá”, afirmou.

Valverde afirmou que não tem visto muito futebol, embora tenha assistido aos jogos do Athletic pela Copa do Rei contra o Barcelona e o Granada, e que deve tirar alguns meses de férias antes de voltar a trabalhar. Onde? Em um lugar diferente. “Decidi parar um pouco porque passei muito tempo seguido treinando. Veremos. Mas não tenho nada muito claro. A verdade é que gosto de fazer coisas diferentes. Dizem para eu ir à Premier League e eu digo que gostaria de ir à Austrália”, disse.

Em sua passagem pelo Camp Nou, Valverde foi criticado pelo estilo de futebol da sua equipe, longe do ideal cruyffista, mas ganhou o Campeonato Espanhol duas vezes seguidas e estava na liderança quando foi demitido. Para ele, é a liga nacional que melhor reflete o trabalho de um treinador. “Outros torneios são mais especiais, têm mais glamour, mas depende de um momento de inspiração. O Liverpool, por exemplo, dá importância a ganhar a Premier League”, disse.

Valverde deixou o Barça empatado em pontos com o Real Madrid, que agora tem três pontos de vantagem, e acreditava que poderia ter vencido o seu terceiro título consecutivo, mas que seria difícil. “Este ano, o Real Madrid está forte, muito focado em La Liga. É o normal, que a Liga seja complicada. O treinador deles (Zidane) havia dito no começo da temporada que sua prioridade era ganhar a Liga e os times de cima perderam mais pontos que o habitual”, encerrou.