No ano de seu centenário, diversas histórias estão cercando o Valencia. A data é especial em si, mas o que a equipe fez em campo marcou ainda mais as comemorações, com a conquista da vaga à Champions League e o título da Copa do Rei. Fora dele, as arquibancadas também viram história. Mais especificamente, a cadeira 164, da fileira 15 da tribuna central do Mestalla. Era lá que ficava o sócio número 18 dos Ches. É lá que ele ainda fica, mas, desde março deste ano, mês específico da celebração de 100 anos dos Murciélagos, na forma de uma estátua providenciada pelo clube.

Vicente Navarro Aparício faleceu em 2016. Antes disso, acompanhou por décadas o clube do coração. Mesmo quando sua retina descolou e ele perdeu a visão em 1985, Vicente não deixou de ir a todas as partidas que podia no Mestalla – e mesmo a jogos fora de casa. Seu filho passou a acompanhá-lo, sentando-se sempre a seu lado e descrevendo visualmente o que acontecia nos jogos, enquanto as reações da torcida a seu redor complementavam a narrativa das partidas.

No ano em que celebrou suas glórias e seus ídolos do passado, o Valencia não deixou para trás um símbolo do amor de sua torcida. Vicente Navarro está eternizado em sua cadeira 164, da fileira 15 de tribuna central, com uma estátua de bronze, “que passa a representar, para a eternidade, todos os que sentiram e sentem sempre a emoção de ser o Valencia”.

Uma pena que Navarro não possa ter tido a experiência de vivenciar o ano de centenário do clube que tanto empurrou ao longo de suas décadas de vida, mesmo as mais duras. Teria visto uma equipe guerreira que construiu um dos mais belos arcos da temporada europeia, saindo de um início ruim de temporada, com apenas uma vitória em 11 jogos, para terminar La Liga no grupo que vai à Champions League, sem mencionar a marcante vitória da final da Copa do Rei, contra o Barcelona.

O desempenho por ora fica um pouco manchado, é verdade, com a imprensa espanhola noticiando que sete jogadores do Valladolid, que enfrentou os Ches na rodada final do Campeonato Espanhol, teriam sido comprados em um esquema de manipulação de resultado para fins de apostas. Porém, como as investigações ainda seguem e não há nada definitivo, o que existe de fato é uma bela história de centenário para os Murciélagos.