Os reforços estrangeiros tomaram o noticiário do futebol carioca nos últimos dias. O Flamengo apresentou Darío Conca cheio de pompas, enquanto o Botafogo anunciou Walter Montillo para a Libertadores. O Fluminense, fora da competição continental, também fez sua aposta no exterior. Um nome bem menos badalado no Brasil, mas que merece mais atenção do que a camisa errada que usou, com a bandeira da Colômbia, ao invés de seu Equador natal: o meia Junior Sornoza, um dos destaques do Independiente del Valle nos últimos anos, trazido ao lado do volante Jefferson Orejuela.

Não é de hoje que a reputação de Sornoza ultrapassa as fronteiras. Cria da própria base do Independiente del Valle, o jovem subiu cedo para a equipe principal, ajudando nas boas campanhas do clube nos torneios nacionais. Desde 2011, aos 17 anos, já participa das rodadas do Campeonato Equatoriano. Balançou as redes 57 vezes em 155 partidas pela liga, uma marca respeitável para um meia-atacante. Seu melhor momento veio entre 2013 e 2014, quando chegou mesmo a brigar pela artilharia do torneio.

Na Libertadores, seu primeiro impacto aconteceu em 2014. Anotou quatro gols na primeira fase, com uma atuação magnífica na eletrizante vitória por 5 a 4 sobre a Unión Española na última rodada, que acabou não sendo suficiente para classificar os equatorianos na corrida contra o futuro campeão San Lorenzo. Sornoza marcou um gol e deu três assistências naquela noite. Naquele momento, o Independiente del Valle parecia pequeno demais para o seu talento. E, de fato, o meia acabou levado pelo Pachuca em 2015, mas não agradou. Disputou apenas 14 jogos pelo clube mexicano, logo sendo trazido de volta ao Equador.

Já na última edição da Libertadores, Sornoza foi um dos artífices da excelente campanha do Independiente del Valle. Teve papel fundamental na surpreendente caminhada até a final, titular em todas as 16 partidas e anotando seis gols. Comandou a equipe principalmente na classificação na fase de grupos, assim como diante de River Plate e Pumas. Não apareceu tanto na reta final, mas sua missão já estava cumprida. Momento tão bom que o meia voltou a ser chamado pela seleção equatoriana. Nome recorrente no sub-17 e no sub-20, ganhou suas primeiras chances na equipe principal em 2014. Já no último ano, ficou na lista extra de convocados à Copa América Centenário.

O Fluminense tende a ganhar bastante com a contratação de Sornoza. É um jogador de qualidade técnica, bastante incisivo e que ajuda bastante na conclusão das jogadas. Além disso, pode se adaptar em diferentes formações. Geralmente faz o papel de meia central, mas também atua como segundo atacante o ponta pela esquerda. Não deve ter problemas para formar uma boa parceria ao lado de Gustavo Scarpa. E, às vésperas de completar 23 anos, com toda essa experiência, tem o caminho aberto para crescer ainda mais. Não é o reforço que chega para a Libertadores de 2017, mas que pode defender a camisa tricolor no torneio continental em outras oportunidades.