O secretário geral da Fifa, Jerome Valcke, declarou nesta segunda-feira que o e-mail que enviou ao vice-presidente da entidade Jack Warner e divulgado pelo mesmo foi “mal interpretado”.

“O senhor Warner publicou um e-mail que eu mandei para ele. Gostaria de esclarecer que talvez eu tenha usado no e-mail um tom muito menos formal do que em qualquer correspondência oficial”, disse.

“Na verdade, quando me refiro à Copa do Mundo de 2022, o que eu queria dizer é que o Qatar usou sua força financeira como lobby para conseguir apoio. Eles eram candidatos com um orçamento muito importante e usaram isso para promover a candidatura”, explicou, para depois se eximir de culpa.

“Eu não fiz e nunca tive qualquer intenção de fazer referência à compra de votos ou outro comportamento antiético”, completou.

O e-mail de Vacke foi divulgado por Jack Warner neste domingo, apos a suspensão do presidente da Concacaf pelo Comitê de Ética da Fifa por acusação de suborno feita pelo catariano Mohamed bin Hammam, que concorria com Joseph Blatter à presidência da Fifa, mas desistiu da disputa.

Na mensagem, Vacke diz a Warner que não sabe porque bin Hammam havia decidido concorrer e diz: “Ele realmente achava que tinha uma chance ou ele apenas queria expressar o quanto ele não gosta de Blatter ou ele pensou que pode comprar a Fifa como eles compraram a Copa do Mundo?