Sob nova direção, o Milan faz um mercado interessante. Contratou apostas promissoras, como Ricardo Rodríguez, Mateo Musacchio, Franck Kessié e André Silva. O quinto reforço, porém, é um completo tiro no escuro. O clube anunciou, nesta sexta-feira, a chegada de Fabio Borini, do Sunderland, por empréstimo, com obrigação de compra, em uma operação de € 6 milhões.

LEIA MAIS: Milan aposta no potencial de André Silva, que precisa vencer irregularidade para ter sucesso

O valor é baixo, diante das altas quantias sendo gastas ultimamente, mas o que o Milan espera conseguir com Borini? O diretor esportivo Massimiliano Mirabelli afirmou que queria trazê-lo há bastante tempo. “Ele joga com o coração e com a alma, mas claro que gostaríamos que ele marcasse alguns gols também”, disse. Bom, essa segunda parte tem se mostrado um pouco complicada.

Borini surgiu no Bologna e foi ainda muito jovem para o Chelsea. Também defendeu Liverpool, Sunderland e Swansea na Inglaterra. Disputou 111 partidas de Premier League na sua carreira e marcou um total de 16 gols. Na última temporada, rebaixado com o Sunderland, disputou 26 partidas em todas as competições e foi às redes apenas duas vezes. A anterior não havia sido muito melhor: cinco tentos em 27 jogos.

O nível técnico da Premier League tem sido superior ao do Campeonato Italiano e pode ser que Borini se dê melhor atuando em seu país. No entanto, a sua única participação na Serie A também não é animadora. Defendeu a Roma em 2011/12, com dez gols em 26 partidas. Uma marca bem melhor em comparação com o que conseguiu fazer na Inglaterra, mas ainda longe dos números de um grande atacante.

A boa memória de Borini entre os italianos vem do Europeu sub-21 de 2013, quando o jogador marcou o gol decisivo da semifinal contra a Holanda e voltou a deixar sua marca na decisão, diante da Espanha. Foi, no entanto, um gol sem efeito, porque saiu aos 35 minutos do segundo tempo e os espanhóis já venciam por 4 a 1.

Não à toa, o próprio Borini parece um pouco surpreso de ter sido contratado pelo Milan. “Estou apenas começando a perceber o que está acontecendo”, disse, à Milan TV. “Quanto mais eu penso nisso, mais emocionado eu fico. Mal posso esperar. Agradeço a todos pela confiança depositada em mim. Estou pronto para fazer qualquer coisa, exceto jogar no gol. O que o time precisar eu tentarei dar. O Milan é um sonho realizado”.

Borini é um jogador barato, que pode atuar tanto pelos lados quanto mais centralizado, e tem raízes na Itália, embora nunca tenha jogado muito em seu país natal. Chega, em princípio, para compor elenco, no mesmo dia em que o Barcelona exerceu o seu direito de levar Deulofeu de volta ao Camp Nou. Nada impede o Milan de recuperar o futebol de um atacante que já foi promissor, mas que, aos 26 anos, ainda não entregou nada do que prometeu.