O Uruguai estreou em uma partida excelente no Mineirão. Diante do Equador, atropelou, um 4 a 0, e com tranquilidade até incomum para um time que está sempre preparado para batalhar muito e sempre. Contou com uma expulsão aos 28 minutos do primeiro tempo que certamente ajudou, mas ali o time já vencia por 1 a 0 e dominava amplamente o jogo. Luis Suárez e Edinson Cavani, comandando o ataque, conseguiram levar perigo o tempo todo, criando jogadas e marcando gols. O Uruguai, um time muito trabalhador, corre demais no meio-campo, sempre muito físico, para decidir o jogo com seus atacantes – seja marcando gols, seja criando jogadas.

Golaço de Lodeiro

Logo a seis minutos de jogo, lançamento longo para Suárez na direita, que virou com perfeição para Nicolás Lodeiro, na entrada da área. Ele tirou um marcador com um toque, deu um toque por cima de outro e finalizou: 1 a 0 para o Uruguai. Um gol no começo do jogo fez com que tudo ficasse mais complicado para os equatorianos.

Expulsão de Quintero

Uma expulsão que foi bastante rigorosa. Anderson Daronco, árbitro da partida, tinha marcado a falta e dado o cartão amarelo. Só que o VAR chamou o árbitro para revisão e lá foi Daronco. Foram longos quatro minutos olhando replays até que ele voltou a campo, anulou o cartão amarelo e tirou o vermelho do bolso para mostrar ao lateral direito. Uma expulsão bastante rigorosa. Quintero foi de fato com o cotovelo um pouco aberto, mas dar o cartão vermelho direto pareceu pesado demais.

A expulsão fez com que o técnico Hernán Darío Gomez tirasse o meia Ángel Mena para colocar o lateral direito Pedro Velasco, recompondo assim o sistema defensivo. Isso, claro, comprometeu demais a capacidade do time de se recuperar na partida.

Escanteios e golaço

Cavani tinha tentado duas vezes. Domínguez segurou uma finalização precisa de Cavani, depois também defendeu um toque de letra. Só que logo em seguida, não teve jeito. Depois de escanteio, Lodeiro tocou pelo alto, Godín ajeitou e Cavani finalizou em um voleio espetacular. Golaço do camisa 21 do Uruguai: 2 a 0.

Depois de um gol que surgiu de um escanteio, o Uruguaio marcou outro dessa forma, já aos 44 minutos. Depois de cobrança pelo lado esquerdo de Lodeiro, a bola foi desviada no meio da área por Martín Cáceres e Suárez, na segunda trave, e o camisa 9 completou para o gol: 3 a 0.

Controle e gol contra

Com o placar muito favorável e com o adversário sofrendo com um jogador a menos, o Uruguai controlou muito o jogo. Ficou com a bola a maior parte do tempo, trocando passes na defesa sem ser pressionado pela marcação do Equador, que tentava não desmontar ainda mais o sistema defensivo. Até porque uma das armas uruguaias é justamente o lançamento longo da defesa para o ataque e seria muito mais difícil se defender delas com um jogador a menos ao pressionar alto.

Com tudo isso, o Uruguai ficou rondando e poderia ter marcado mais gols. Marcou só um, em um lance que Pereiro recebeu um lançamento longo dentro da área, tocou de cabeça tentando ajeitar de cabeça, e o zagueiro Arturo Mina se atrapalhou e tocou para trás, marcando um gol contra.

Mais um estádio vazio

A Copa América segue com uma toada ruim nas arquibancadas. Mesmo para um jogo que é bem interessante, como é Uruguai e Equador, o público foi baixo: 13.611 pagantes, com renda de R$ 1.534.535,00. Os preços altos dos ingressos seguem pesando muito contra. Jogos enormes com públicos minúsculos. A culpa vocês sabem quem é, né? A Conmebol segue errando demais na organização – para a surpresa de ninguém.

Próximo jogo

O Uruguai volta a campo na quinta-feira, dia 20, às 20h na Arena do Grêmio, certamente com muito mais torcida a favor, pela proximidade com o país. O Equador só volta a campo no dia 21, sexta, às 20h, na Fonte Nova, em Salvador.

Ficha técnica

Uruguai 4×0 Equador

Local: Mineirão, em Belo Horizonte
Árbitro: Anderson Daronco (Brasil)
Gols: Nicolás Lodeiro aos 6’/1T, Edinson Cavani aos 33’/1T, Luis Suárez aos 44’/1T, Arturo Mina (contra) aos 33’/2T (Uruguai)
Cartões amarelos: Nicolás Lodeiro, José Giménez (Uruguai)
Cartão vermelho: José Quintero (Equador)

Uruguai: Fernando Muslera; Martín Cáceres, José Giménez, Diego Godín e Diego Laxalt; Nahitán Nández (Gastón Pereiro), Matías Vecino (Federico Vecino), Rodrigo Betancur e Nicolás Lodeiro (Lucas Torreira); Luis Suárez e Edinson Cavani. Técnico: Óscar Tabarez

Equador: Alexander Domínguez; José Quintero, Arturo Mina, Gabriel Achiller e Beder Caicedo; Jefferson Intriago e Jefferson Orejuela; Antonio Valencia, Ángel Mena (Pedro Velasco) e Ayrton Preciado (Romario Ibarra); Enner Valencia. Técnico: Hernán Darío Gómez