Paul Pogba saiu do banco de reservas para fazer seu primeiro jogo desde dezembro e, com uma jogada individual de grande habilidade, sofreu o pênalti que se converteu no gol de empate que o Manchester United vinha merecendo contra o Tottenham, no norte de Londres. O confronto direto entre candidatos a uma vaga na próxima Champions League terminou em 1 a 1.

Pogba teve uma temporada afetada por muitas lesões. Cresceram as especulações de que não estaria comprometido e que busca uma transferência para outro clube. Sofreu o primeiro problema físico em setembro, tentou retornar em dezembro, mas teve que voltar ao estaleiro após apenas dois jogos, em que atuou 26 minutos contra o Watford e 45 diante do Newcastle.

Começou no banco de reservas o duelo importante na briga pelo quarto lugar – ou quinto, caso a punição ao Manchester City por violações do Fair Play Financeiro seja confirmada -, na qual o maior brilho foi do goleiro do Tottenham, Hugo Lloris, com uma série de defesas importantes.

Não fosse o francês, era bastante provável que o Manchester United tivesse marcado antes dos 36 minutos do segundo tempo porque os visitantes foram dominantes na maior parte do jogo. Tiveram a posse de bola, até um pouco fora de suas características, e a rodaram bastante para furar o bloqueio armado por José Mourinho.

Nessa empreitada, fez diferença a criatividade de Bruno Fernandes, do qual saiu a primeira grande chance da partida. Seu cruzamento da direita foi desviado de uma maneira esquisita por Davinson Sánchez e caiu perfeito para Marcus Rashford, também retornando ao time do Manchester United. O garoto pegou de primeira, e Lloris defendeu com os pés.

Lloris havia feito outras duas defesas antes de Steven Bergwijn, bom nome que chegou em janeiro, recolher a sobra de um tiro de meta e partir para cima. Tirou Harry Maguire com muita facilidade, ganhou na velocidade do zagueiro e de Fred e bateu forte. A bola foi em direção às mãos de De Gea, que não conseguiu fazer a defesa.

O francês voltou a trabalhar, aos 29 minutos, quando uma falta cobrada por Fred esbarrou em Sánchez e se dirigia ao canto. Lloris mergulhou para espalmar. Dois minutos depois, Bergwijn, em outra boa ação, subiu pela direita e cruzou na segunda trave, onde Son tentou um cabeceio colocado. De Gea redimiu-se do gol com uma maravilhosa defesa.

No segundo tempo, intensificou-se a dinâmica da partida, e Bruno Fernandes começou a pegar ritmo. Deixou com Martial ,recebeu de volta e bateu cruzado e rasteiro da entrada da área. Passou muito perto da trave direita de Lloris.

Aos 19 minutos, Pogba já havia entrado no lugar de Fred e tocou para Fernandes. O português fingiu que chutaria de fora da área, mas descolou um lindo passe para Martial. O chute, porém, foi desviado por Dier e ficou com Lloris, autor de outra linda defesa, pouco depois, quando Martial dominou o centro de Luke Shaw, abriu espaço e bateu de canhota.

Após sobreviver aos quase 30 minutos de pressão do United, o Tottenham conseguiu equilibrar um pouco as ações, teve uma bola parada, mas não conseguiu parar Pogba. Pelo menos, não legalmente, na visão do árbitro. O camisa 6 dominou a bola pela esquerda da grande área, rente à linha de fundo, passou por Dier com um ótimo jogo de pés, e foi derrubado. Pênalti. Bruno Fernandes bateu cruzado e empatou para os Red Devils.

Seis minutos depois, Pogba tirou um lindo lançamento da cartola para deixar Rashford em boa posição. O domínio não foi ideal e, na hora em que entrava na área, chegou o desarme. Mason Greenwood ainda teve uma chance de ouro de virar, com uma batida cruzada de muito perigo, mas a partida terminou com pontos divididos.

O empate não foi ideal para nenhum dos dois. O Manchester United, em melhor situação, pode ver o Chelsea abrir cinco pontos na quarta posição, ser superado pelo Sheffield United ou ver o Wolverhampton encostar. O Tottenham estacionou nos 42 pontos, a quatro dos Red Devils e potencialmente a nove do Chelsea.

.

.

.

.