Em meio ao caos financeiro que se desenha e já tem seus primeiros efeitos sentidos, especialmente entre os clubes menores, o Manchester United decidiu abrir mão do restante a ser pago por três equipes pelo empréstimo de três de seus jogadores: Joel Pereira, emprestado ao Hearts, Kieran O’Hara, atualmente no Burton, e Ethan Hamilton, que nesta temporada defende o Bolton.

Segundo o Daily Mail, a decisão do United aliviará financeiramente esses clubes em um total combinado de £ 130 mil. Enquanto Burton e Bolton disputam a League One, terceira divisão inglesa, o Hearts joga a elite escocesa. Fontes internas do clube de Manchester dizem que a direção sentiu que seria injusto aumentar a pressão financeira sobre clubes menores neste momento delicado.

O impacto financeiro sobre os clubes da parte de baixo da pirâmide inglesa é muito temido pela opinião pública. Nesta segunda-feira (25), Gary Neville criticou a falta de apoio devido da Premier League às divisões menores. Co-proprietário de um clube da League Two, o Salford, Neville não gosta da ideia ventilada de que os clubes da chamada English Football League (EFL), da segunda à quarta divisões, peçam socorro ao governo britânico, “que já tem muito com o que se preocupar”, segundo ele.

“O que estou vendo em todas as partes no futebol é que cada um está olhando apenas para si, não vendo a carnificina que virá nos próximos três ou quatro meses. Eu esperava mais da Premier League desde o primeiro dia. Sigo me decepcionado com o posicionamento deles”, afirmou Neville.

Proprietário do Huddersfield, atualmente na Championship, Phil Hodgkinson é alarmista e fala que entre 50 e 60 clubes da EFL poderiam falir se uma solução de ajuda financeira não for encontrada. Neville acha que não serão tantas as equipes quebradas, mas reconhece que talvez Hodgkinson esteja mais perto do número certo do que ele.

Já havia um ruído no futebol inglês de incômodo com a falta de assistência da Premier League às divisões menores. A elite nacional ficou com 93% das receitas de direitos de TV do triênio 2019-22, cujo valor total é de £ 8,65 bilhões. Se antes da pandemia a divisão mesquinha causava incômodo, agora os olhares tortos se multiplicaram, e a pressão da opinião pública cresce.