Contra os prognósticos iniciais, o Union Berlim garantiu a permanência na Bundesliga com uma campanha bem confortável em sua estreia na primeira divisão. O Estádio An der Alten Försterei foi um grande trunfo dos berlinenses na campanha, possibilitando quase dois terços dos pontos conquistados. E o clube, extremamente ligado à sua comunidade, na região da antiga Berlim Oriental, promete um ambiente seguro aos torcedores no Campeonato Alemão de 2020/21. Os Eisernen tentarão viabilizar exames gratuitos de coronavírus a todos os espectadores nos jogos em casa, sem acréscimo no valor dos ingressos, com o intuito de encher as arquibancadas desde a primeira rodada da próxima temporada.

Em sua nota oficial, o Union enfatizou como o Estádio An der Alten Försterei é um espaço importante ao contato social e também aos cerca de mil funcionários que trabalham em dias de jogo. O clube se compromete a buscar a capacidade máxima o quanto antes, para que o ambiente seja compartilhado pela torcida e para que a economia ao redor das partidas volte a girar. No programa de jogo publicado na última rodada da Bundesliga, o presidente Dirk Zingler escreveu: “O Union está organizacionalmente pronto para fazer de tudo o que estiver a seu alcance para que o estádio receba as pessoas sem distanciamento o mais rápido possível. O caminho mais fácil nunca foi uma opção para nós”.

Assim, o Union Berlim promete trabalhar em conjunto com a DFL – a liga alemã, responsável por organizar as duas primeiras divisões: “Com base nos conceitos sanitários da DFL, que provaram seu valor em operações especiais à Bundesliga, o Union visa garantir que seu estádio seja totalmente utilizado desde o primeiro dia da temporada 2020/21. O núcleo do conceito anterior da DFL era testar todas as pessoas que trabalhavam nos jogos, já que não era possível aplicar a regra de distanciamento social e a implementação da máscara a todos. Como resultado, isso assegurou que apenas as pessoas que não tinham infecção no momento entrassem em contato direto umas com as outras”.

A estratégia do Union será testar, em todas as partidas como mandante, os funcionários e também os 22 mil torcedores que são donos de carnês de temporada. Para entrar no estádio, os espectadores terão que apresentar o ingresso e também um exame negativo de coronavírus, que deverá ter sido realizado na véspera do jogo em questão. O Union ainda estuda sua logística para atender todos os torcedores gratuitamente. A diretoria conversa com parceiros em potencial, para disponibilizar os testes nas horas anteriores às partidas. O clube apresentará seu projeto à liga, bem como às autoridades sanitárias de seu distrito e do estado de Berlim.

“Nossa experiência no estádio não funciona à distância e, se não podemos cantar e gritar, não é o Union. Ao mesmo tempo, a segurança de nossos torcedores e funcionários está no centro de nossas considerações. Queremos garantir o melhor possível para que ninguém seja infectado em nosso estádio lotado – o que se aplica aos torcedores do Union e também aos visitantes. A implementação deste conceito é um enorme desafio organizacional e econômico, que estamos felizes em enfrentar com todas as nossas forças. Isso também significa que nós, como clube, arcaremos com os custos da implementação. Queremos dar o futebol de volta às pessoas”, concluiu o presidente Dirk Zingler.

O maior desafio ao Union será mesmo convencer as autoridades sobre as aglomerações. A Alemanha segue com uma situação favorável na contenção da pandemia. O país atualmente contabiliza 6,3 mil casos ativos, com 277 novos exames positivos nesta sexta-feira. Além disso, são 9,1 mil mortes no total. Berlim soma 8,2 mil casos e 214 óbitos.

Fica o agradecimento ao leitor Guilherme Conte pela sugestão da pauta. Valeu!