Da Inglaterra, o futebol se espalhou pelo mundo. E a influência dos britânicos é marcante não apenas na introdução do esporte em outros países, mas também na criação dos clubes. Não é por menos que o mito fundador de muitos times se assemelha: são os trabalhadores das fábricas, onde a modalidade realmente se tornou popular; são os estudantes, que se motivaram com as novas ideias e com a prática das atividades atléticas; são os imigrantes, que tentavam se aclimatar a um novo país trazendo um pouco da cultura de seus antigos lares. Através deles, é possível reconstruir o passado da maioria dos participantes da fase de grupos da Champions League.

A fundação dos clubes diz um bocado sobre a história da Europa na virada do Século XIX para o XX. Traz aspectos políticos, econômicos e culturais, perceptíveis facilmente nas entrelinhas, além de representar também outros caminhos do passado da sociedade europeia. O estabelecimento dos times traça os meandros diante das guerras, dos diferentes regimes e das novas estruturas econômicas. Há um caldeirão de informações nestas criações, que carregam consigo diferentes perspectivas do continente ao longo das últimas décadas.

No mapa abaixo, recontamos brevemente as origens de cada um dos clubes da Liga dos Campeões 2019/20. Mais do que as histórias escritas, também é possível conferir o estádio de cada um dos times, e as redondezas de onde estão localizados. Para conhecer um pouco mais sobre a mistura cultural que a Champions engloba. Alguns escudos estão sobrepostos, visualize melhor aproximando o zoom. Confira: