Os jogadores no Brasil desfrutam as férias há pelo menos duas semanas. No entanto, o futebol nos vizinhos sul-americanos continuou a todo vapor nos últimos dias. O domingo teve decisões e muita comemoração em cinco países que disputam a Libertadores. Bolívia, Colômbia, Equador e Peru conheceram os seus últimos (ou únicos) campeões do ano, enquanto o Chile pôs fim a sua Liguilla. Não por menos, os 38 participantes do torneio continental em 2015 finalmente foram conhecidos – ou quase, por conta de um impasse na Argentina entre Vélez Sarsfield e Boca Juniors.

Abaixo, um resumão do que aconteceu nas Américas e os vídeos das comemorações:

Colômbia: Independiente Santa Fe campeão

A torcida do Independiente Santa Fe aturou um jejum de 36 anos sem conquistar o Campeonato Colombiano até 2011. Mas, desde então, os cardinales do maestro Omar Pérez se estabeleceram como uma das principais potências do país. O bom momento do clube de Bogotá se confirmou diante da enorme festa no El Campín, onde aconteceu o segundo jogo da final contra o Independiente Medellín. Após vencer no Atanásio Girardot por 2 a 1, o empate por 1 a 1 bastou para a conquista do Clausura, ainda mais depois que Luis Arias abriu o placar para o time da casa. O Santa Fe levou o seu 8º troféu da liga, quarto na lista histórica da Colômbia e com seis a menos que o rival Millonarios.

Equador: Emelec campeão

A enorme festa estava preparada no Estádio George Capwell. Apesar do gol sofrido no final do jogo de ida, o Emelec era o favorito no clássico que decidia o Campeonato Equatoriano, por ainda ter a vantagem da nova igualdade no placar. E deu um baile no rival Barcelona. A expulsão de um jogador adversário logo aos 10 minutos facilitou bastante o serviço e Ángel Mena abriu o placar. Já no segundo tempo, o show ficou por conta de Miller Bolaños, autor de dois gols. Até mesmo o presidente do país, Rafael Correa, tratou de festejar pelos electricos em seu twitter. Este é o 12º título nacional do Emelec, que também ergueu a taça em 2013. São apenas duas conquistas a menos que o Barcelona, maior campeão equatoriano.

Peru: Sporting Cristal campeão

O Campeonato Peruano contou com uma decisão de tirar o fôlego. Depois de dois empates nos dois primeiros jogos, Sporting Cristal e Juan Aurich voltaram a medir forças no Estádio Mansiche. O time da casa esteve em vantagem duas vezes no placar, mas o Sporting Cristal buscou o resultado no tempo normal e levou a final para a prorrogação. Já aos oito minutos do segundo tempo extra, coube a Chávez dar o título aos cervejeiros. E o pior é que, depois disso, ainda houve tempo para um grande susto: o goleiro Diego Penny sofreu uma concussão e se esqueceu até mesmo que jogava a decisão, precisando ser substituído. Foi a 18ª conquista do clube de Lima, atrás apenas de Universitario e Alianza Lima como maiores ganhadores do país.

Bolívia: Bolivar campeão

Nos pontos corridos do Apertura Boliviano, o Bolívar só precisava fazer a sua parte. A equipe da capital começou a rodada com um ponto de vantagem para o Oriente Petrolero. E, além de bater o Blooming por 3 a 0, os celestes ainda contaram com uma ajudinha do rival The Strongest, que superou o Petrolero por 2 a 1. A conquista para ratificar ainda mais a qualidade do time de Xabier Azkargorta, que contou com gols de Juanmi Callejón, José Carlos Arce e Capdevilla na partida decisiva. Maior campeão nacional, o Bolívar chegou ao 23º título, o segundo em 2014. Também se confirmou como o primeiro classificado à Libertadores 2016.

Bônus: Palestino classificado à Libertadores

A rodada do domingo também encerrou a Liguilla do Chile, que determinou o representante do país na primeira fase da Libertadores. Vaga do Palestino, confirmando-se com toda propriedade. A equipe da comunidade árabe goleou o Santiago Wanderers por 6 a 1, após já ter vencido o duelo de ida por 3 a 1. O destaque em Valparaíso foi Valencia, autor de dois tentos. O Palestino volta à competição continental após 36 anos e, quem sabe, pode voltar a empunhar a bandeira nacional de seus fundadores no maior torneio das Américas. E a fase é excelente para isso: em seus últimos 11 jogos, o time acumula 10 vitórias e um empate.